O fenômeno #AmazonFail

Um dos assuntos mais comentados no Twitter esta semana, é definido pelo tag #AmazonFail.

Mais do que o assunto da moda, trata-se de um ótimo exemplo negativo de word-of-mouth e merece ser conferido com mais detalhe. O que causou o problema: a Amazon recentemente apagou os rankings de vendas de centenas de livros cuja temática era relacionada ao homssexualismo. O autor Mark Probst questionou a Amazon que respondeu que a empresa não iria mais incluir ranking de vendas no material “adulto” do site.

A reação foi imediata. E irada. Em apenas 24 horas o twitter levou o #amazonfail para um dos três trending topics no mundo. Para piorar, um porta-voz da Amazon disse à CNet que o problema foi um “probleminha no sistema e que já havia sido corrigido”. Os usuários do Twitter responderam instantaneamente com o tag #glitchmyass.

O Twitter, alias, vem se mostrando como uma espécie de voz coletiva, que responde instantaneamente a “probleminhas no sistema” seja lá onde eles aparecerem.

O assunto continua vivo. Milhares de posts em blogs, matérias na Wired online e no Wall Street Journal. The AmazonFail Group no Facebook com mais de 1.500 membros e dezenas de abaixo-assinados online começaram a pipocar. Milhares de livros receberam, na própria Amazon, o tag AmazonFail. Logos foram criados. Produtos com a marca #glitchmyass.

A Amazon emitiu um comunicado admitindo o equívoco. O porta-voz afirmou que não foram apenas os títulos sobre homossexualismo que foram afetados e que o erro inclui mais de 57 mil livros. A Amazon refutou a possibilidade de um hacker ter causado o problema.

via ChurchofCostumerBlog

Neto
"My only regret in life is that I am not someone else - Woody Allen"
Neto

Latest posts by Neto (see all)

Leave a comment