Blockberry?


blockberry2

Já estamos acostumados a ver produtos chineses sem nehum respeito por marcas ou direito autoral. Esse, porém, chega no limite. Além de clonar o produto e a marca, ainda usam o Presidente dos EUA para endossar o lançamento. Até quando vamos continuar achando isso apenas divertido?


Like it? Share with your friends!

What's Your Reaction?

Like! Like!
0
Like!
Amei! Amei!
0
Amei!
LOL LOL
0
LOL
OMG OMG
0
OMG
Geek Geek
0
Geek
Triste Triste
0
Triste
Raiva Raiva
0
Raiva
WTF WTF
0
WTF
Guest Post

Série do UoD que traz sempre um convidado especial para fazer um update que vale por um upgrade.

Comments 3

Your email address will not be published. Required fields are marked *

  1. Ah, mas o problema aí é que os países subdesenvolvidos são os grandes clientes dessas quinquilharias chinesas, isso inclui o Brasil. Sendo bem simplistas, eles produzem porque alguém compra. Se ficasse restrito ao mercado chinês, azar o deles. Mas isso chega às classes baixas do Brasil, da Rússia, da Argélia, do Egito.

    E aí você vai ver quanto um Blackberry custa nesses países. É o mesmo caso do MacBook, que baixou 100 ou 200 dólares no resto do mundo e aqui aumentou 2 mil reais! É claro que isso estimula a pirataria. Acontecia o mesmo com as fitas cassete piratas, lá em 1994, lembram? O cassete original custava 9 reais (em 1994) e o piratinha, 1 real.

    E ai a gente vem falar de reciclagem, de emissão de poluentes como se a indústria pirata chinesa não fosse estimulada pelo nosso consumo. Quem nunca comprou aqueles DVDs/CDs sem tag, de 50 centavos?

    Porque temos os produtos mais caros do mundo? Da gasolina ao Blackberry, nós precisamos pagar mais.
    Outro dia proibiram os brasileiros de trazer pneus do Paraguai. Quem mora em SC e no PR sabe que isso é uma prática super comum (supercomum? superccomum?). O cara vai com um picape calçando 4 pneus velhos mais o estepe, volta com a caçamba cheia de pneus novos mais os 5 que seu carro usa. Mas o pneu lá custa 100 reais. Pneu bom, que aqui se paga 250, 300 reais.

    Precisaria probibir se o pneu custasse 150 aqui?

    Mais uma: moro em Blumenau, numa região reconhecida como polo téxtil nacional. Ao menos até os acordos com a China. Sobreviveu quem soube trabalhar com os chineses. O resto quebrou porque não dá pra competir com a China quando você produz no Brasil. Até a tradicional Hering hoje importa suas peças da China.

    Os culpados por tudo isso somos nós. Da mesma forma que uma empresa não trabalha com um fornecedor "sujo", os países não devem negociar com um país que faz vista grossa aos direitos humanos, aos tratados ambientais, que enriquece mas não se desenvolve, que quer ter voz politica mas não dá nada em troca.

    Podem achar errado que haja embargo econômico, mas ao menos isso obrigaria os países "atrasados" a entrar na linha. Adianta ter todos os luxos do mundo rico se a gente paga caro e anda com medo?

  2. Muito bem colocado! Nao existe nenhuma graca em ver nossa industria ser destruida pelo descaso de nosso, com a falsa imagem de estar economizando. A China, entre outros paises da Asia, tem muito a contribuir entregando sua competencia tecnica de forma ordenada. Nos, por outrolado, podemos e devemos integrar este "Cluster", termo pelo qual se auto denominam, de fora saudavel e produtiva sabendo que nos e que especificamos aquilo que e importado.