Você não é a ferramenta que usa.

hammerdest

Inspirado pelo post do Wagnão, resolvi escrever sobre ferramentas. As virtuais.

Nesses mais de 15 anos trabalhando no meio digital, eu já me deparei com várias ‘brigas’ de software e de seus adeptos.

Mac vs. Windows, PHP vs Java vs Ruby vs Node, Illustrator vs Corel, Maya vs 3D Max, Editores de texto vs IDE, etc (Photoshop parace ser uma das poucas unanimidades).

Essa lista é interminável e aumenta todos os dias.

Seja qual for a ferramenta que você usa, lembre-se que ela não é o fim, mas o meio.

Eu sempre tive como regra, quando me aventurava em algum campo desconhecido, usar as ferramentas que os caras que eu admirava usavam. Mas depois de conhecê-las, eu decidia se eram as melhores pra mim.

As vezes a melhor ferramenta pra gente não é a melhor que existe. As vezes é a mais simples, a que podemos pagar, usar, ou simplesmente a que temos ali, naquela hora.

O mais importante, ao meu ver, é saber se adaptar. É fazer seu planejamento, deixando espaço pra improvisar.

Uma coisa que nunca mudou é que as coisas sempre mudam – no caso dos softwares, geralmente pra melhor.

Como sempre me ensinaram, conhecimento não ocupa espaço. Aprenda ferramentas novas, nem que seja pra ter certeza que a que você usa e domina, é a melhor.

O mundo anda, evolui. Nós precisamos perder o medo de fazer o mesmo.

Não tenha medo de se atualizar. Você está aqui lendo este site pra isso, não está?

E se não existir uma ferramenta a altura do seu trabalho, faça uma nova – foi assim que os maiores gênios da informática nasceram.

Update or Die.

rvillas
Freelancer @rvillas, trabalha com internet há 15 anos, viu o UOD nascer, e sobreviveu a 2 bolhas da internet.

Leave a comment