Continue Curioso: histórias de quem largou o emprego para fazer o que gosta (e o que não conhece)

Placeholder
Continue Curioso

Já faz um tempo que venho acompanhando os vídeos do pessoal do Continue Curioso e acho que o projeto tem “a cara” do Update or Die.

Trata-se de uma série documental sobre pessoas que questionam o jeito que estão levando a vida, se desprendem da carreira que construíram até então e partem para uma nova caminhada, em um trajeto ainda desconhecido.

O projeto questiona um pouco os padrões do mercado de trabalho e serve de inspiração para quem pensa em romper com o modelo “das 9h às 6h” e se tornar um profissional independente. A própria criadora do projeto largou o emprego que tinha, em uma agência de publicidade, para se tornar freelancer.

“Não sabemos qual jeito é o melhor ou se existe um jeito certo. Durante o caminho pra achar respostas, o que encontramos foram perguntas. E não importa quais foram, o que importa é que a gente ainda segue perguntando.”

No site também é possível indicar alguém para participar do projeto.

Os outros episódios você confere mais abaixo.

 

10 Responses / Leave a comment

  1. Fernanda Galhardo

    Não entendo quem questiona a subjetividade dos vídeos, se a ideia me parece ser justamente essa. Fugir do óbvio não tem nada de objetivo, muito pelo contrário. Quem quer objetividade, pode continuar dentro dos 4m² do escritório.

  2. Giovana Barbieri

    é curioso a quantidade de publicitário que não aguenta mais agência e passa por esse dilema. me parece que o buraco é mais embaixo.

  3. Luiz Contim

    Ele só fala isso no início do vídeo quando ele se apresenta… O resto do vídeo inteiro ele fica filosofando sobre o óbvio. Não me acrescentou nada. Aliás, os outros episódios tbm são assim, já no 3º episódio tá ficando repetitivo.

  4. Antonio Affonso

    o cara é artista plástico.. e ele fala no vídeo.. presta atenção!

  5. Luiz Contim

    O cara ali do primeiro vídeo faz o que, afinal? Achei o vídeo pouco objetivo. Falou, falou, e não disse nada que acrescenta.

  6. Luis Carlos Barbosa

    …só se sente a segurança real do paraquedas, depois de sua abertura. O problema é que se você não saltar ele nunca abrirá.