A televisão americana e a fidelidade

Nós assistimos televisão também, em um mundo em que, cada vez mais, a televisão predominante é a americana.

Fiquei com essa sensação ao assistir a homenagem feita por uma esposa ao seu marido, para comemorar o aniversário dele.

Ela criou versões de aberturas de séries americanas para ele. O resultado é sensacional, para quem ama televisão a ponto de dedicar-se ao projeto, endereçado a outra pessoa, que provavelmente ama tanto essas séries quanto.

Repare no alfabeto hebraico nos vídeos, indícios que revelam tratar-se de uma produção israelense.

Televisão é o veículo que tradicionalmente agrega a família no sofá para consumo de experiências culturais populares compartilhadas.

Na nossa geração, as séries americanas vêm provocando uma radicalização desse comportamento, que chamo de ‘consumo obrigatoriamente compartilhado’.

Funciona assim: se você assiste uma série com alguém, passa a ser obrigado a acompanhar cada episódio dessa série ao lado daquela pessoa. Não pode assistir antes, nem depois, sem realizar um verdadeiro ato de traição.

Se a outra pessoa não pode assistir o episódio essa semana, ou na outra, o acúmulo de episódios resultará em uma maratona no fim de semana.

Paralelamente, acumulam-se relatos de casos em que, não suportando a curiosidade, pessoas assistem episódios duas vezes, simulando surpresa em trechos de maior suspense.

Mas o mesmo fenômeno parece não se repetir com a TV brasileira, e, pelo que o vídeo leva a crer, israelense.

Isso acontece com você? Com quais séries?

4 Responses / Leave a comment

  1. Marilia Gil

    Series só em maratona. Perdi a paciencia de intervalo comercial e esperar 1 semana entre epsódios. Prefiro esperar a temporada acabar e ver numa talagada ou, pelo menos, ver ao meu tempo e sem ninguém pra me prender a epsódio nenhum.

  2. Wagner Brenner

    Meu consumo televisivo atual resume-se a séries (sempre gravadas) e esporte (único sobrevivente the experiência "ao vivo). Das coisas gravadas, assisto sempre em esquema maratona mesmo, deixo acumular e depois assisto tudo de uma vez, acelerando os intermináveis breaks cheios de promos repetidas the TV por assinatura. Muito Netflix (mesmo com títulos velhos), um pouco de Hulu, um pouco de filmes pela iTunes Store. Tudo isso deve dar uns 20% do meu tempo de tela, o resto é internet.