hide

 

O mercado de games está evoluindo em uma curva assustadora em termos de plataformas, tecnologias, gadgets e devices lúdicos. Com iniciativas como o Kickstarter, estamos vendo – inclusive – um enorme rol de protótipos de “garagem” ganharem financiamentos milionários para chegarem até o público gamer.

A #interatividade é grande, mas não é mágica. Muitas vezes esquecemos de dar aquela olhada para trás para entender o que originou alguns mecânicas e anseios do jogador. Em meio ao momento cheio de tecnologias que permitem jogar interagindo com movimento e câmera faço questão de lembrar de um dos primeiros jogos com “interação diferenciada” da história dos games: Sneak ‘N Peek, do Atari.

Era um jogo de esconde-esconde. Um jogador saía da sala e o outro se escondia pelo cenário (devia ter meia dúzia de lugares para se esconder, apenas). Então, o jogador que havia saído voltava e tinha um tempo para localizar o esconderijo.

Uma lágrima pixelizada escorre do meu olho quando vejo essa ideia. A seguir, um vídeo emocionante com o gameplay:

Use as teclas ← → para navegar