Dumb Ways to Die in Rio

1DUMBSRJ-
SWTDinRIo

Confiram abaixo a paródia do hit de Cannes 2013, Dumb Ways to Die, desta vez ambientado no Rio de Janeiro. Aumente o som e aperte o play!

Update: ontem apareceu esta resposta, o Morro de Amor Pelo Rio. Além da animação e música serem piores, o politicamente correto impera. Até entendo o movimento (embora ache que a resposta deveria ser em inglês se a ideia é preservar a imagem do Rio para gringos e não só brasileiros) mas não aprecio a forma… e você ?!

Comments

  1. Luiz Henrique Campos says:

    Orrâ meu os publicitário paulista são criativo mesmo né meu.

  2. [...] vi no Update or Die uma paródia da propaganda que se passa no Rio. Por sinal, também ficou excelente! Vale a pena [...]

  3. Kátia Rocha says:

    HAHAHAHAHAHAHAHAH Que óóóóóótemo!
    Há dias tô vendo postagens desse video em vários sites, mas só agora pude assistir e A-D-O-R-E-I!

  4. Tem o conceito de "Terrorismo de Marca" que poderia se aplicar a isso. Mas achei inorportuno mesmo, pois o caso australiano é de TRANSFORMAR o ruim em lúdico e passar uma mensagem positiva.
    No caso deste do Rio é de EXPOR o ruim e passar uma mensagem de conformismo com a situação. Atendi ao Festival de Cannes e estive muito próximo do caso australiano, conversando com o Mescall (ECD the McCann Melbourne) e tudo mais, mas é apenas minha opinião. Enfim, boa discussão!

  5. Não curti. Achei gratuito, bobinho… querendo pegar carona mas acaba só queimando o filme. Em todo lugar tem dumb ways to die. Até no metrô australiano.

  6. Muito bonitinho :)

  7. Ótima versão de "Dumb Ways To Die" pro Rio.
    Mensagem tanto pros políticos como pra gente que como eu adora a cidade.

  8. Drive in Joá foi foda! auhuahuahuahuahuahuahu

  9. Luiz Felipe Barros says:

    Genial (e, infelizmente, com uma grande dose de realidade) essa paródia usando o Rio de Janeiro the mega premiada campanha "Dumb Ways to Die".

    http://www.updateordie.com/2013/07/02/dumb-ways-to-die-in-rio/

  10. Putz, isso que eu chamo de acabar com uma cidade! E nem falou das favelas!