Banco imobiliário, mobilidade social e documentários

Banco imobiliário, mobilidade social e documentários

Banco Imobiliário

Imagine que você está começando uma nova partida de Banco Imobiliário, mas 90% do dinheiro do banco já está distribuído entre os outros 3 jogadores e todas as casas e hotéis já estão construídos no tabuleiro.

Qual a chance de você ganhar?

A metáfora acima foi transformada em um experimento que aconteceu de verdade. Colocaram os jogadores em uma sala, com uma câmera, e fizeram várias partidas dessa forma.

É claro que os jogadores que começavam com pouco dinheiro perderam todas.

Pelo menos é assim que o “jogo” funciona nos EUA. Apesar da sensação de mobilidade social que as pessoas têm (se você trabalhar bastante, vai ganhar bastante dinheiro e vai “subir de classe social”), essa possibilidade de mudança é quase irrisória. 

O experimento acima faz parte do documentário Park Avenue: Money, Power and the American Dreamque eu assisti recentemente e precisava compartilhar por aqui.

Vamos aos números:

Metade do dinheiro dos EUA está concentrado nas mãos de 400 pessoas.

Você leu certo: 400 pessoas.

Grande parte delas mora em um único prédio (esse aí da foto abaixo), localizado no número 740 da Park Avenue, em Manhattan.

Park Avenue 740

A mesma Park Avenue que, depois que cruza a ponte ao norte da ilha, desemboca em um mar de pobreza e pessoas que sobrevivem com menos de um salário mínimo por mês.

Sim, o salário mínimo americano é relativamente alto (cerca de 1,100 dólares por mês), mas ainda assim o contraste é gritante.

Parece familiar?

CEO vs regular worker

Não vou contar mais para não estragar a narrativa do filme, mas fica aqui a recomendação. O trailer do documentário você confere abaixo:

 


Loading Facebook Comments ...

2 Comments on this Post

  1. in the end, degree flip washout users ofttimes thought tibialis posterior muscle but joint pain in the calves their unique your feet possibly were to become put forward throbbed.

  2. Mas o que eu quero saber é pq esse prédio é tão pop? ;) Toca a campainha lá Fabrício, pergunta o aluguel!

Leave a Comment