Banco Imobiliário
Cinema

Banco imobiliário, mobilidade social e documentários

Banco Imobiliário

Imagine que você está começando uma nova partida de Banco Imobiliário, mas 90% do dinheiro do banco já está distribuído entre os outros 3 jogadores e todas as casas e hotéis já estão construídos no tabuleiro.

Qual a chance de você ganhar?

A metáfora acima foi transformada em um experimento que aconteceu de verdade. Colocaram os jogadores em uma sala, com uma câmera, e fizeram várias partidas dessa forma.

É claro que os jogadores que começavam com pouco dinheiro perderam todas.

Pelo menos é assim que o “jogo” funciona nos EUA. Apesar da sensação de mobilidade social que as pessoas têm (se você trabalhar bastante, vai ganhar bastante dinheiro e vai “subir de classe social”), essa possibilidade de mudança é quase irrisória. 

O experimento acima faz parte do documentário Park Avenue: Money, Power and the American Dreamque eu assisti recentemente e precisava compartilhar por aqui.

Vamos aos números:

Metade do dinheiro dos EUA está concentrado nas mãos de 400 pessoas.

Você leu certo: 400 pessoas.

Grande parte delas mora em um único prédio (esse aí da foto abaixo), localizado no número 740 da Park Avenue, em Manhattan.

Park Avenue 740

A mesma Park Avenue que, depois que cruza a ponte ao norte da ilha, desemboca em um mar de pobreza e pessoas que sobrevivem com menos de um salário mínimo por mês.

Sim, o salário mínimo americano é relativamente alto (cerca de 1,100 dólares por mês), mas ainda assim o contraste é gritante.

Parece familiar?

CEO vs regular worker

Não vou contar mais para não estragar a narrativa do filme, mas fica aqui a recomendação. O trailer do documentário você confere abaixo:

 

Gostou? Dê um like e passe adiante!

Sobre o Updater

Fabricio Teixeira

é designer e trabalha para deixar sua vida mais fácil. fabricio.nu

2 comentários

Click here to post a comment

Your email address will not be published.

PUBLICIDADE

publicidade

anuncie aqui
PUBLICIDADE

Updaters Recém-publicados

SOBRE ESSA TURMA ACIMA:

Nosso conteúdo NÃO É jornalístico.
Continua sendo produzido de forma colaborativa e espontânea, por profissionais do mercado criativo que usam apenas a própria curiosidade como critério e pauta, sem qualquer obrigação de frequência de postagem.
"Se postou é porque gostou". Porque nosso compromisso é inteirinho com a sua (ins)piração. Updater não é cargo, é traço de personalidade. E nossa missão é encontrá-los.

Somos uma comunidade 100% independente.