O concurso cultural vai acabar?


promocoes-concursos-redes-sociais

Quem trabalha com publicidade, principalmente no meio digital, já está acostumado com as indagações: “tá mas será que isso é concurso ou promoção?”. A resposta básica vem de uma pergunta simples. Envolve sorte? Promoção. Competência? Concurso.

Só que não é tão simples assim. Como saber se a mecânica de participação que você criou é interpretada como sorte ou competência? Aí entra mais um personagem no processo de aprovação: o jurídico. No ano passado até publicamos aqui um infográfico da BRR Business and Rights Resolutions, especializada no assunto, em parceria com a W3haus.

Recentemente novas regras para concursos culturais deixaram muitos, inclusive eu, com dúvidas. Conversei com Igor Reichow da BRR e compartilho com vocês os aprendizados a seguir.

Novas regras

No último dia 18 de julho entrou em vigor uma nova Portaria do Ministério da Fazenda dificultando ainda mais a realização de concursos culturais. Os mais polêmicos marquei em negrito:

  • a promotora não pode divulgar produtos próprios ou fazer propaganda, salvo a mera divulgação do concurso cultural;
  • vinculação de aquisição de qualquer produto ou serviço pelos participantes ou contemplados (tais como: inscrições feitas somente pelos perfis das redes sociais, inscrições via SMS, etc);
  • subordinação a mecânicas de sorte, advinhação ou pagamento pelos participantes;
  • marcas, nomes de produtos da promotora, sua razão social em qualquer material, bem como, o nome da empresa promotora nas chamadas ou nome do concurso, criação de material que vincule à marca da promotora (ex: envie uma foto de você com o automóvel da marca X);
  • divulgação do concurso nas embalagens de produtos da promotora;
  • realização de concurso cultural exclusivamente nas redes sociais, salvo a mera divulgação;
  • concursos para mera formação de cadastros de banco de dados;
  • vinculação a eventos e datas comemorativas, como campeonatos esportivos, Dia das Mães, Natal, Dia dos Namorados, Dia dos Pais, Dia das Crianças, aniversário de Estado, de Município ou do Distrito Federal e demais hipóteses congêneres.

Para ajudar a digerir toda essa mudança, você confere uma versão atualizada do infográfico no final deste post. Antes disso, vale levantar uma discussão que pode ser interessante.

Promoção: vilã pode ser a solução

Se fazer concurso está cada vez mais difícil, como agilizar a aprovação de uma promoção? Igor acredita que com as dificuldades ainda maiores na realização de concursos culturais a tendência é crescer o número de promoções.

E aqui há uma informação importante. Existem duas modalidades de promoções comerciais:

  1. Certificação perante à Caixa Econômica Federal (CEF)
  2. Certificação perante à Secretaria de Acompanhamento Econômico (SEAE)

Promoção via CEF

A certificação com a Caixa Econômica Federal é a mais conhecida e utilizada. Nela qualquer empresa pode pedir a autorização para promover uma promoção comercial em qualquer das modalidades previstas em lei. O prazo mínimo estipulado é 40 dias e máximo de 120 dias, mas é comum a aprovação sair antes disso dependendo da demanda e complexidade da mecânica.

Promoção via SEAE

Já a segunda opção deve ganhar ainda mais adeptos. Nessa modalidade somente instituições financeiras podem solicitar a certificação perante à SEAE. O pulo do gato é que empresas de produtos e serviços podem fazer um termo de adesão junto a essas instituições financeiras para promover uma promoção comercial.

A vantagem (e lucro de um lado) é que a premiação se dará por intermédio de algum título de capitalização da própria instituição financeira. E para a empresa de produtos e serviços o processo de liberação torna-se vantajoso por ser mais rápido (por enquanto).

“O mercado é tão grande que nossos parceiros, já antecipando a própria demanda do mercado, já possuem perante a SEAE algumas mecânicas de promoções comerciais protocoladas que podem ser ativadas em poucos dias – obviamente dependendo do envio de toda documentação necessária pela empresa de produtos e serviços – reduzindo ainda mais o processo.” – Igor Reichow.

Empresas como Heineken, Coca-Cola, Unilever, entre outras já utilizaram tal modalidade. Com a obrigatoriedade da premiação ser em títulos de capitalização, o jeito é apelar para asteriscos indicativos como “prêmio sugerido”. Na hora de efetuar o pagamento o vencedor tem a opção de receber diretamente o prêmio sugerido, sem precisar resgatar os títulos de capitalização.

O certo é que com tanta complexidade e possibilidades de interpretação a melhor maneira de levar adiante um concurso ou promoção é procurando uma assessoria especializada. Ou então contar com a sorte.

promoção concursos redes sociais

Published in Criatividade

Like it? Share with your friends!

What's Your Reaction?

Like! Like!
0
Like!
Amei! Amei!
0
Amei!
LOL LOL
0
LOL
OMG OMG
0
OMG
Geek Geek
0
Geek
Triste Triste
0
Triste
Raiva Raiva
0
Raiva
WTF WTF
0
WTF
Rafael Ziggy
Torcedor do Figueirense, imitador de grilos e diretor de criação associado na agência Africa.

Comments 74

Comente e/ou atualize o post

  1. Gustavo Coelho eu concordo com você, o governo não tem capacidade de fiscalizar nem as próprias contas, agora vai fiscalizar uma promoção de um brinde ou um vale compras de R$100 por exemplo eu prefiro fazer a promoção e se algum "por acaso" quiser fiscalizar eu pago os R$ 100 reais de multa e pronto. Mas fácil do que ter que ir até uma agencia da CEF para pedir autorização para o sorteio. kkkkk só no Brasil mesmo. MAIS UM LEI QUE VAI FICAR SÓ NO PAPEL…..

  2. em tempo: não me entendam mal, o infográfico ficou #show, mas a real é que só marcas MUITO GRANDES mesmo é que correm algum risco de fiscalização e de algum tipo de sanção…

  3. gente, pelo amor, né? onde que esse governeco vai fiscalizar isso? só sabem roubar e agora vem querer conversar fiado com uma portaria que já existia há 200 anos e que na teoria já regulamentava as mesmas coisas… #FALASÉRIO

  4. Como os clientes pequenos vão se promover agora? O governo definitivamente quer que o micro empresário se ferre! Até para audiência do Face isso não é bom. Só quem ganha são as grandes companhias e a Caixa que vai arrecadar mais impostos.

  5. Thiara, tudo bom ?
    Esse Whispond Brasil é bom ?! Pesquisei aqui … Achei bacana o site e a proposta deles ! Mas é um site apenas para hospedar as promoções, certo ?

  6. Cada promoção precisa ter uma autorização da CEF? Se tivermos 5 promoções para fazer durante uma semana, por exemplo, vamos precisar de 5 autorizações da Caixa?

  7. Uma ótima solução e sugestão é hospedar concursos e sorteios em seu próprio site. Com os aplicativos the Wishpond Brasil você pode promover suas campanhas em seu site! Perceba que isso é permitido e você ainda faz a divulgação automaticamente em suas redes sociais. Fica uma boa dica para vocês melhorarem também o tráfego do site. Leia também o post como criar esse tipo de campnha: http://bit.ly/140I6zF.

  8. Pessoal, para concursos culturais que já estavam no ar antes the Portaria? Como faz? rs Falta 1 mês para um concurso acabar no Facebook, apesar the marca não aparecer e não ser sorteio de produto the empresa, ainda estamos apenas no Facebook. Podem me ajudar? tks

  9. Agora a grande questão: Alguém aqui já criou o concurso cultural com as novas regras? Postem aqui modelos pra gente! Me pediram pra substituir por ações institucionais com arte institucional. Alguém me dá uma help! rs

  10. Pode sim Malu. Mas para isso deverá ser um concurso comercial com autorização da CEF ou SEAE. aumenta um pouco o custo e precisa de mais prazo mas não é um bicho de sete cabeças… Conseguimos autorizações de promoções em até 6 dias úteis esse ano…

  11. As ações online devem atender a todos os ítens da portaria. É bom ler o artigo na íntegra, pois uma Promoção Comercial se limita a atender a várias questões, não só as ações online. Hotsite não é uma rede social, entretanto precisa verificar outros itens do seu mecanismo de campanha.

  12. dúvida: um concurso cultural onde o participante fisicamente vai até a loja e faz uma foto produzida. então meu aplicativo no FB apenas lista as fotos com um sistema de VOTAR independente do FB, e no final do período o premiado é o autor the foto com mais VOTOS. Isso pode? O meio de votação é um aplicativo de aba no FB, as pessoas que votarão devem dar autorização para o app poder gravar o voto.

  13. Eu tenho uma senhora dúvida: Essas regras todas valem apenas para empresa com CNPJ devidamente registrado? Por exemplo, eu sou dona de um site de entretenimento e notícias, não tem CNPJ, eu tenho uma fanpage e quero fazer uma promoção nela (usando como ferramenta, não só pra divulgação). E ai? Pode?

  14. Parabéns pela pauta Rafael! Essas informações estão distantes the maior parte dos profissionais que utilizam essas estratégias. Abs!

  15. Alguma entidade de classe vai questionar isso juridicamente ou vai ficar por isso mesmo? Ainda estou tentando entender (além the vontade de fazer tudo passar pela Caixa $$$) qual grande 'crime' era realizar um concurso de Dia das Mães.

  16. Mto bacana o post! Parabens! Mas mesmo seguindo os passos do infográfico o concurso pode não ser legal. Não foi informado diversos aspectos no infográfico.Por exemplo. Eu posso não obrigar o usuario a comprar o meu produto, mas posso pedí-lo para cadastrar seus dados…isso tbm nao pode…

  17. Oi Isabela! Saliento isso no texto nesse trecho: "Nessa modalidade somente instituições financeiras podem solicitar a certificação perante à SEAE. O pulo do gato é que empresas de produtos e serviços podem fazer um termo de adesão junto a essas instituições financeiras para promover uma promoção comercial."

  18. Até hoje tenho uma dúvida: promoções para páginas do facebook que não tem um registro CNPJ, como páginas de humor por exemplo, podem ser feitas as promoções/concurso? Pois não é uma empresa, e não fala nada disso na portaria, rs. Alguém sabe me tirar essa dúvida?

  19. Angel Junior
    Valor dos prêmios oferecidos
    R$ 0,01 até R$ 1.000,00
    taxa R$ 27,00
    de R$ 1.000,01 a R$ 5.000,00
    taxa R$ 133,00
    de R$ 5.000,01 a R$ 10.000,00
    taxa R$ 267,00
    de R$ 10.000,01 a R$ 50.000,00
    taxa R$ 1.333,00
    de R$ 50.000,01 a R$ 100.000,00
    taxa R$ 3.333,00
    de R$ 100.000,0 a R$ 500.000,00
    taxa R$ 10.667,00
    de R$ 500.00 a R$ 1.667.000,00
    taxa R$ 33.333,00
    acima de R$ 1.667.000,01
    taxa R$ 66.667,00

  20. Prezados, há um erro no texto. Promoções lastreadas em títulos de capitalização não são feitas por meio the SEAE, mas sim pela contratação de uma sociedade de capitalização regulada pela Susep. A única diferença the SEAE e the CAIXA é que a primeira é para instituições financeiras e a segunda para todas as demais atividades e tanto na SEAE como na CAIXA é proibido entregar dinheiro como prêmio.
    Qualquer empresa de qualquer ramo de atividade pode fazer promoção lastreada em título de capitalização desde que contrate uma sociedade de capitalização. Portanto, é uma terceira forma de promoção regulada pelo Decreto 6.388/08 acessível aqui: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_Ato2007-2010/2008/Decreto/D6388.htm.

  21. Muito bom mesmo, estava pesquisando sobre para não cometer nenhum erro com os nossos clientes. Show de bola!

  22. Parabéns. Isso vai ser muito útil para explicar para os clientes a diferença de promoção e concurso.

  23. Entendam realmente o que a portaria sobre Concursos Culturais significa.

  24. Ótimo material para os publicizadores de plantão: Finalmente acabaram as dúvidas quanto aos Concursos Culturais! Ótimo post! (Obrigado, Rafael Ziggy ).

log in

Seja bem-vindo(a) ao Update or Die!
Don't have an account?
sign up

reset password

Back to
log in

sign up

Back to
log in