A password will be e-mailed to you.

Você deve ter ouvido falar de Serial, o podcast que mais rápido atingiu a marca dos 5 milhões de downloads, que cobria o caso real do assassinato de uma estudante em Baltimore, EUA.

O podcast conta, em 12 episódios, toda a história do assassinato, da investigação e dos julgamentos subsequentes.

Poxa, uma forma fantástica de contar histórias que pode acompanhar a pessoa em seu dia a dia, seja na academia ou no trajeto para o trabalho.

O mais curioso é que esse formato de storytelling evoca um bem mais antigo e por muitos dado como morto: a rádio novela.

Quem diria que, com um gap de algumas gerações que jamais pararam ao lado do rádio para ouvir uma história, essa mesma prática voltaria com roupagens do século XXI?

Uma prova de que formas de contar história nunca morrem, apenas evoluem.

Pegando carona no sucesso de Serial e no (nada relacionado com, na verdade) relançamento do seriado Arquivo X, os cineastas Zack Akers e Skip Bronkie criaram Limetown, um seriado em podcast que conta a história da repórter Lia Haddock investigando o estranho desaparecimento de um complexo de pesquisas inteiro.

A ideia da dupla era contar uma história em audio que fosse tão empolgante quanto o cinema que tanto estudaram e amam.

Com o primeiro episódio tendo estado no topo da lista dos podcasts “Trending” no iTunes, acho que os caras conseguiram. Um feito incrível para um projeto paralelo cujo custo estimado de todos os 7 episódios (ainda não produzidos) é de meros US$ 30.000.

A trama ainda está no segundo episódio e o calendário de produção é um tanto errático, mas esperar só cria mais empolgação.