A password will be e-mailed to you.

testeiraCG-

Camila Gadelha, Head de Conteúdo e Engajamento da Artplan SP. Lidera uma equipe de estrategístas, conteudístas, community managers e BI que tenta sempre criar coisas legais para pessoas e marcas.

Mesmo precisando de R$20 pra comprar um taco de café-da-manhã em Austin, Texas, seu chefe liberou e você tá pronto pra passar 10 dias no South by Southest. O festival que mistura música, tecnologia e cinema é uma das coisas mais legais que eu já vivi e espero que seja a mesma coisa pra você.

Como esse ano alguns amigos meus estão se aventurando pela primeira vez nessa disney de nerds e publicitários, resolvi escrever algumas dicas pra não precisar repetir tudo no whatsapp várias vezes.

1 — Você vai perder um monte de palestra e shows incríveis.

O SXSW é um reflexo da vida; feito de escolhas. Não é um evento com uma grade única para todos os participantes, sua maior característica é variedade e abundância. Austin é uma cidade pequena, de um milhão de habitantes, mas esse número se multiplica durante o festival.

A brincadeira acontece em todo o centro da cidade. Ali na meiuca, vários hotéis se juntam ao centro de convenções e viram palco de palestras e workshops, o que significa que não existe um só lugar onde os participantes convivem o tempo todo.

Você vai andar muito de um lado pro outro do centrinho (ou vai pegar um pedicab — tipo uma charretinha de bicicleta) e pra isso precisa saber antes de cada dia quais são os assuntos que te interessam e tentar criar sua própria grade prestando atenção nos lugares onde você precisa estar.

Nos últimos dois anos muita coisa lotou, então é sempre importante ter uma palestra em vista e uma outra de “plano b” no mesmo lugar ou em algum lugar bem pertinho. Grupos de whatsapp da galera também ajudam a saber o que encheu. Não rola de pedir pra guardar lugar.

Aproveita essas duas semanas antes do embarque pra baixar o aplicativo e já ir marcando todas as coisas que te interessam.

Palestras com uma ou duas pessoas costumam ser mais legais do que palestras com três ou quatro pessoas. Workshops são MUITO legais. Escolha algumas coisas fora da sua zona de conforto e das suas áreas de interesse. Faça isso com um mapinha ao lado pra saber onde é cada coisa.

2 — Tenta ficar sozinho e conhecer gente nova.

É uma tentação bem grande ficar andando com a galera da agência e trocando ideia com as mesmas pessoas que você já conversa todo dia no trabalho. O problema é que eu acho que isso significaria perder uma das oportunidades mais legais que o SXSW oferece: a tal da polinização cruzada — roubando a palavra dos livros de auto-ajuda corporativa.

Eu sou bem loba solitária e adoro ficar sozinha quando viajo e quando tô em eventos. Pra mim esses são momentos de reflexão sobre a vida e sobre o que eu faço com ela. Mas, principalmente, ficar sozinha e longe da galera que tá falando pt-br huehuehue significa se deixar conhecer gente do mundo inteiro.
Nas vezes que eu fui ao SxSW eu fiquei amiga de um dono de cervejaria, entrevistei o Henry Rollin, toquei com uma banda punk, conversei com o Stephen Wolfran, fiquei amiga de um taxista indiano e aprendi java com um polonês.

Acho que tudo isso teria sido impossível se eu tivesse ficado o tempo inteiro com a mesma galera.
Não acho que o legal seja se isolar completamente dos colegas daqui. Eu também conheci em Austin brasileiros maravilhosos que viraram grandes amigos e que moram na mesma cidade que eu. Imagino que o ideal seja achar um equilibrio entre proteger a sua solidão, ter novas experiências e passar um tempo trocando ideia com gente legal.

3 — As festas costumam ser uma grande roubada.

Uma das coisas que rolam muito durante a parte mais nerd do festival (o Interactive, que acontece entre 11–15/03) são as festas de empresas, patrocinadores, etc. O cenário é sempre parecido; um bar ou topo de um hotel, cerveja ruim de graça, comida pior ainda e filas grandes.

Esses eventos, mesmo que façam parte do festival, exigem sempre que você faça RSVP pra poder entrar. Então na primeira vez que eu fui eu paguei uns 40usd pra assinar esse serviço que dava RSVP em TODAS as festas. Acabei entrando em duas ou três. Era muito deprê.

A gringolândia parece se divertir horrores bebendo em copos vermelhos e trocando cartões de visitas e DSTs, mas eu sempre achava mais legal e produtivo sair das palestras pra tomar uma cerveja (paga) em algumas das várias opções de bares que downtown oferece. Isso sem falar em música ao-vivo. Austin é conhecido por isso e nunca deixa a desejar.

4 — Devore Austin, seus bares e suas bandas.

Agora a coisa começa a ficar mais quente. Austin é uma cidade realmente linda. Imagina um lugar onde os guinchos de construções são iluminados com luzinhas de natal. Mesmo que você só vá ficar no Interactive, aproveite pra conhecer as maravilhas que esse lugar oferece.

Craft Pride no SXSW’14

Vou começar pelo Craft Pride, que é um bar novo da Rainey St. Essa área da cidade é a mais “nova”. Ainda preserva várias das casinhas tradicionais da região, mas agora essas casinhas são bares mais elegantes do que os que você encontra na 6th street. O Craft Pride tem mais de 40 taps de cervejas do Texas e uma pizza bem boa no pátio.

Depois tem o Ginger Man que fica na Lavaca e também tem uma cacetada de cervejas diferentes na torneira. O bar é escuro e fica bem cheio durante o SxSW. O mais legal é o balcão. Em 2013 um banqueiro / investidor sentou do meu lado e me contou tudo sobre as frustrações de tentar encontrar um “unicornio”.
Agora, se o seu negócio for cocktails, o Small Victory tem todos os clássicos em um ambiente pequeninho e adorável. De novo, o balcão é o melhor lugar. Acreditem no balcão. Amem o balcão. E peçam o Daiquiri.
5 — Aproveite pra comer (muito) bem.

Primeiro precisamos conversar sobre “tacos de café-da-manhã”. Se você não entendeu a referência no primeiro parágrafo é porque ainda não foi apresentado pra essa maravilha da gastronomia mexicana. Tacos de café-da-manhã são tortillas moles de trigo quentinhas e recheadas com o que você imaginar. O mais tradicional é a combinação de bacon, ovos e queijo. Fica maravilhoso e você vai encontrar isso por toda a cidade.

Breakfast Taco

Outra coisa importante sobre Austin é o churrasco. Mas não pensa que é o churrasco que a gente conhece aqui no Brasil não. Churrasco em Austin é uma carne que ficou na churrasqueira por umas 24 horas e depois foi besuntada de molho pra derreter na sua boca e provocar sensações indescritíveis. Se alguém te chamar pro Franklin, você pode rir da cara do trouxa e dizer que não tá a fim de ficar três horas numa fila, mas daí você pode sugerir o Iron Works ou o La Barbecue e ganhar a simpatia da galera.

Não se assuste se alguém te indicar um lugar incrível pra comer e você descobrir que é um food truck. Faz parte do charme da cidade. Tudo lá é food truck e vão ser os food trucks que vão te salvar nos momentos de fome depois das 2 horas da manhã, quando pararem de servir bebida alcóolica.

6 — Essa é uma dica especial sobre pizzarias.

Eu nunca pisei em Nova York, então não sei como é o cenário das pizzas por lá, mas eu sempre sonhei em comer pizza que nem as Tartarugas Ninjas e em Austin eu encontrei meu lugar. Assim como os food trucks, as pizzarias ficam abertas até tarde e muitas vezes são uns cantinhos no meio do barulho da 6th street (uma rua cheia de bares que fecha durante todo o SxSW).

Por ali existem três lugares com pizzas maravilhosas. Aqueles pedações grandes e extremamente gordurosos. Por ordem de preferência, o troféu de bronze vai pra Roppolo’s, que tem várias opções de recheio e costuma ser bem rápida no atendimento. Logo em seguida tem um lugar incrível chamado Hoeg’s Death Metal Pizza. Esse nome é bem sério. Se eles tão abertos, eles tão tocando Death Metal aos berros. Não sei como o povo que trabalha lá não é surdo.

Por último tem o meu campeão, meu amor, meu querido, que é o Jackalope. O Jackalope é mais um bar do que um lugar de pizza, mas eles também têm o balcão que dá direto pra 6th onde você pede deliciosas e gigantescas fatias de pizza feita com cerveja pra ficar bem crocante. Se não tiver muita fila, acho que vale a pena entrar lá e ir direto pros fundos do bar, onde eles têm um segundo ambiente que só toca punk rock!

7 — Desculpa, deixa eu voltar pro festival e falar dos XPRESS PASSES!

Esse é o tipo de dica que eu acho que vale ouro. Se você tem o badge Platinum, o Gold, o badge Film ou o badge Music, você tem direito ao que eles chamam de SXXpress, o passe expresso do SxSW.

O passe expresso serve pra escolher um filme ou um show (dois, se você for Platinum) que você absolutamente precisa ver naquele dia. O passe vai garantir que você fique no começo da fila, antes de todo mundo, quando a casa de show ou o cinema estiver se preparando pra abrir. Se a casa já tiver aberta e lotada, você fica na frente de todo mundo que tá esperando sair alguém pra entrar.

Explicando um pouco melhor, o ponto principal aqui é que ter um badge não te garante muita coisa no SxSW. Vai ter show que vai lotar e você não vai poder ver, vai ter filme que vai lotar também e vai ter palestra que vai lotar.

Sobre as palestras só tem uma maneira de não perder; Se for um troço MUITO importante pra você, esteja lá uma hora antes da hora marcada. Agora, pra filme e música o SXXpress pode dar uma forcinha, apesar de também não garantir nada.

Isso significa que é sempre bom escolher UM show imperdível por noite. O show que você mais quer ver. A partir daí se programe em volta desse show. Se ele for acontecer muito tarde, vale tentar ir a outros lugares antes e voltar com o seu SXXpress pass uma ou duas horas antes da hora marcada pro show. Se o show que você quer ver for acontecer cedo, vai direto pra porta e fica esperando abrir.

8 — Se você tiver Platinum ou Gold, ir num filme NÃO é perda de tempo.

Nas primeiras vezes que fui ao SxSW eu acreditava que ficar duas horas em um cinema seria uma grande perda de tempo. O meu cálculo era que nessas duas horas eu poderia ver duas bandas tocando ao vivo, poderia ver duas palestras, poderia explorar várias ruas.

Até que no ano passado eu conheci um fotógrafo que tinha sido contratado pra tirar fotos dos atores e diretores que participavam dos lançamentos de filmes e acabei acompanhando ele em duas sessões. A experiência foi muito foda.

Além de poder conhecer e interagir com atores e diretores (fiz uma pergunta pro filho do Tom Hanks sobre o filme dele), esse tempo também serviu como um descanso de toda a agitação que acontece pelas ruas da cidade. Isso sem falar que em Austin existe o Drafthouse, uma rede de cinemas que oferece serviço de bar e alimentação em todas suas sessões. Dá pra ver o filme tomando cerveja!

9 — Okay, falando sobre cervejas rapidinho.

Existem três cervejaria bem tradicionais em Austin. A 512, a Austin Beerworks e a Independence. Pra quem gosta de IPAs, a Stash da Independence é um tiro de lúpulo, enquanto a Fire Eagle da Austin Beerworks é bem mais suave.

Fábrica da Independence, que fica no Sul de Austin.

A “american lager” tradicional da cidade é a Lonestar (a cerveja da lata vermelhinha que ficou mundialmente famosa com a série True Detective) e é fácil encontrá-la em qualquer lugar. É uma Skol / Antartica americana. Barata e cumpre o seu papel.

Além dos bares que eu já falei ali em cima, o The Brew Exchange fica no centro da cidade e é um lugar interessante. As cervejas mudam de preço de acordo com a demanda, como se fosse uma bolsa de valores. O Austin Beer Garden Brewing (ABGB) também é um lugar bem legal, apesar de um pouco afastado (não peçam a Caesar Salad, tem mais alho do que alface).

10 — Cuidado pra não se apaixonar. É sério.

Austin é encantadora. É uma cidade que acolhe as diferenças e celebra as esquisitices do mundo. Ao mesmo tempo, é uma cidade que cresce diariamente atraindo gente do mundo inteiro. Explorar um pouco desse universo pode ser uma boa maneira de fugir da doidera do SxSW em alguns momentos.

A Blue Owl Brewing na East Cesar

Passear na área da East Cesar Chavez é conhecer a história ainda meio crua do lugar. Ali ainda existem vários restaurantes super tradicionais e várias lojas que vendem piñatas. A área também tem uma boa concentração de cafés e lugares de alugar bicicletas. É um bom lugar pra caçar um taco de café-da-manhã.
Passando pro outro lado do Rio Colorado, que corta o centro da cidade e abriga milhões de morceguinhos, você vai encontrar a SoCo, ou South Congress. Esse é o lugar meio-tradicional, meio-hipster da cidade. Tem um monte de brechós, cafeterias, lojas de disco e lojas de artesanato, incluindo a Allen Boots (loja mais tradicional de botas de cowboy) e a Uncommon Objects, um brechó que vende tudo que é esquisito.

So-Co é um dos lugares mais legais da cidade.

Tem o céu de Austin também, que é todo especial. As nuvens são quase sempre horizontais e magrinhas, como se fossem riscos cruzando um azul bem forte e bagunçando tudo.

Resumindo bem, é uma cidade linda. Aproveite.

O projeto especial do UoD, no SXSW, tem o apoio cultural do Santander, Twitter Brasil, Levi’s Brasil, Rede Atlântida (RBS), GoPro Brasil e Trip Editora.

No more articles

Send this to a friend