A password will be e-mailed to you.

Eu me considero uma pessoa positiva. Tenho otimismo em relação ao que me acontece, e tento sempre olhar as situações difíceis como um aprendizado, uma maneira de crescer e ser uma pessoa melhor.

E, obviamente, eu acho que isso está super bem. A vida é mais leve quando a gente é grato pelas muitas das maravilhas da experiência humana. Mas há uma grande diferença entre ser uma pessoa positiva e ignorar os aspectos críticos que estão acontecendo no mundo.

Há situações em que não adianta ser positivo e esperar que o problema se solucione com reza, vela acesa ou incenso – o buraco é mais embaixo.

Você vai parecer estúpido se falar para um viciado em drogas que ele tem que ser positivo para resolver o seu problema. Ou acreditar que o pensamento positivo vai resolver questões globais como a mudança climática, a pobreza, a exploração animal, a corrupção ou a má distribuição de renda. Pior é dizer a alguém sem trabalho que “dinheiro não traz felicidade”.

Claro que não temos que carregar o peso do mundo nos ombros; é saudável reconhecer e se sentir otimista sobre as coisas boas que acontecem e que podem melhorar. O insensato é não equilibrar esse otimismo ao ponto de não saber enfrentar os problemas reais.

Há que entender que as crises existem e que algumas delas precisam de soluções que vão além do que é espiritual… ser apenas positivo não vai fazer o trabalho difícil de enfrentar seus problemas internos e muito menos os problemas do mundo.

Aproveito o pensamento e compartilho o TED de Jody Williams sobre o que significa a paz: