A password will be e-mailed to you.

Não existe coisa mais decepcionante quando estou entrevistando alguém para uma vaga de UX Design ou UI Design do que aquele comentário.
Aquele, que se exonera toda a culpa e a empurra para outro time, outra pessoa, outro país, outro universo.
Normalmente vem depois de um elogio.

“Muito legal essa interação que você criou.”
“Pois é… Uma pena que a implementação ficou horrível. Os desenvolvedores não seguiram nada do que a gente falou, aí ficou bem difícil de usar.”

Respira fundo.

Se algo não foi implementado do jeito que imaginamos, a falha é do designer tanto quanto de qualquer outro membro do time.

Nosso papel enquanto designers é desenhar *experiências* fáceis de usar, e não *layouts* fáceis de usar.

Uma dessas coisas aconteceu no meio do caminho:

  • Você não acompanhou todas as etapas de desenvolvimento e não esteve lá dando feedback e corrigindo à medida em que o código era escrito.
  • Você desenhou uma interação que não era possível implementar corretamente na plataforma/linguagem do produto final – e não descobriu isso a tempo de corrigir.
  • Você não documentou a interação com o nível de detalhe suficiente para que os desenvolvedores não se perdessem no meio do caminho.
  • Você ignorou as preocupações dos desenvolvedores quando eles tentaram te avisar da dificuldade de implementar aquilo.
  • Você não discutiu suficientemente com os desenvolvedores sobre formas criativas de corrigir os problemas de implementação ou se simplificar um pouco a interação.
  • Você não bolou um plano B ou C quando percebeu que a implementação não ficaria do jeito que você imaginou.
  • Você não testou suficientemente com usuários para perceber que aquela interação não é convencional o suficiente (e se não é convencional o suficiente, é difícil para os desenvolvedores terem onde se espelhar para construir o melhor código possível).
  • Você não dividiu a responsabilidade do design o suficiente com o time de desenvolvimento, para que eles tomassem o desafio para si e implementassem o que eles acreditavam que é certo — e não simplesmente seguir o que você falou para eles fazerem.
  • Você não convenceu o time (ou o cliente) a lançar uma versão 1.1 daquela página/interação onde o problema fosse corrigido.

Claro, está contratado.

 

 


Texto publicado originalmente no uxdesign.cc