A password will be e-mailed to you.

Teófilo Stevenson, um herói cubano Five Ring Films lança documentário com a história do boxeador, que recusou uma oferta de US$ 1 milhão para lutar contra Muhammad Ali

A revolução cubana de Fidel Castro sempre apostou no esporte para manter o povo orgulhoso de suas cores. O resultado? Anos e anos de ótimas vitórias em esportes como vôlei e atletismo. Mas o boxe sempre foi a “menina dos olhos” dos cubanos. Foram mais de 50 anos de vitórias na modalidade durante os Jogos Olímpicos. E, para contar um pouco dessa história, a Five Ring Films, selo de documentários do Olympic Channel, foi até a América Central para contar um pouco mais sobre o legado do boxeador Teófilo Stevenson, o maior peso pesado da história do esporte, falecido em 2012.

Teófilo, tri-campeão olímpico, se tornou uma lenda ainda maior ao rejeitar uma oferta de US$ 1 milhão para lutar contra Muhammad Ali, nos Estados Unidos, em 1974. E o documentário “The People’s Fighters”, dirigido por Peter Berg, conta um pouco dos triunfos e desafios enfrentados pelo boxe cubano – e destaca, também, os novos talentos que estão traçando o futuro do esporte.

Confira o trailer:

A versão completa do filme, que tem quase 90 minutos emocionantes de boas histórias, estará disponível no Olympic Channel, neste link.

Ah, em tempo: um post desse não poderia vir em melhor hora.

Segundo o blog Olhar Olímpico, do UOL, o esporte brasileiro sofreu um inenarrável revés nesta semana. Uma Medida Provisória editada na última segunda-feira, 11 de junho, afetou TODOS OS SETORES do esporte nacional com um corte de verba, principalmente em relação à formação de atletas, o esporte escolar e o esporte universitário – que deixam de receber qualquer financiamento federal.

A reportagem de Demétrio Vecchioli mostra que a expectativa é que só a formação de atletas deva perder ao menos R$ 500 milhões ao ano em investimentos. Já o Ministério do Esporte deve perder cerca de R$ 250 milhões de seu orçamento anual. A justificativa do Governo é que a mudança acontece para “para beneficiar segurança pública”.

É, o caminho é perfeito: você tira as crianças do esporte na escola para investir em poder de polícia. Ah, e sabem o melhor? O governo não mexeu na parcela que vai aos clubes de futebol – sim, aqueles que não pagam impostos e têm verbas milionárias de transmissão de TV, patrocínios e bilheterias. Vejam só. O governo Temer está ACABANDO com o esporte nacional com apenas uma canetada.

Aproveitando o gancho, já que falta um dia para começar a Copa do Mundo, “todo dia é um 7 a 1 diferente na nossa cara”.

 

 

 

No more articles

Send this to a friend