O artista de rua Banksy está atualmente em Nova Iorque durante todo mês de outubro. Com uma série de ações, pinturas, grafites e performances ele promete algo novo todos os dias durante o mês de outubro. Em seu site você acompanha dia a dia.

Numa ótima entrevista que ele deu para Village Voice ele fala sobre essa série de ações na cidade:

“There is absolutely no reason for doing this show at all. I know street art can feel increasingly like the marketing wing of an art career, so I wanted to make some art without the price tag attached. There’s no gallery show or book or film. It’s pointless. Which hopefully means something.”

A última foi vender suas obras assinadas por 60 dólares numa feirinha de rua na cidade. Pouco mais de 6 quadros foram vendidos.

Depois de ver o filme dele – Exit Through the Gift Shop (completo após o jump) – dá pra gastar um tempo pensando no valor da arte, porque pagamos seu valor e para que queremos possui-la.

A impressora de fachadas é uma espécie de robô conectado a uma arma de paintball.  O usuário insere um arquivo em formato SVG que é lido por um software de impressão. O software traduz os dados e envia o sinal para a arma disparar as bolinhas de tinta. O dispositivo também conta com uma funcionalidade de preview por meio de uma câmera embutida.

A capacidade de tiro da máquina é de 12 metros e a altura máxima de impressão é de 8 metros. A frequência de tiro é de 5 por segundo e cada bolinha chega a atingir a velocidade de 200km/h.

A idéia é bem legal mas os resultados ainda são medianos. Quem sabe no futuro os idealizadores consigam evoluir o aparelho?

No site oficial você conhece um pouco mais da impressora e pode ver a galeria de fotos.

[vimeo]http://vimeo.com/7299485[/vimeo]