in

Artistas nos convocam contra Usina de Belo Monte, na Amazônia

Eu não estou assinando embaixo da proposta do vídeo (ainda vou pesquisar mais antes de decidir participar do abaixo-assinado) e, confesso, o fato de o movimento ter um monte de celebridades e uma mensagem tão bem feita (publicitária?) assim é algo que me deixa de pé atrás. Foi organizado e financiado como?

Mas também fico de pé atrás, por outro lado, com uma usina hidrelétrica na Amazônia, especialmente sabendo das cheias e secas da região, e sei que celebridades também são gente (brincadeira) e que podem ser válidas na luta por uma causa.

Enfim, o que quero dizer é que acho essa discussão importantíssima, daí minha postagem. Não deixem de ver.

Ao menos, eu tenho certeza que esse movimento não será como a marcha contra a corrupção em Brasília que teve 30 pessoas. Esse é um caso específico. Acho que os movimentos têm de ter objetivos muito específicos. (A bandeira “acabar com a corrupção” é quase como acabar com a fome mundial ou discurso de miss a favor da paz mundial. Não dá, né, gente?! Pé no chão.)

UPDATE (tks, Rê): O abaixo-assinado, o vídeo e o Movimento Gota d’Água foram uma iniciativa do ator Sérgio Marone, com a ajuda da jornalista Maria Paula Fernandes. Eles arrecadaram dinheiro com a ajuda dos amigos. O diretor Marcos Prado (produtor de Tropa de Elite) topou dirigir e também criou a logo e participou da criação e definição do movimento. (Então, o tom global-publicitário-cinematográfico é espontâneo, tem a ver com a origem do pessoal mesmo. Bem menos mal.)

UPDATE 2: A prova cabal de que esse tipo de iniciativa funciona é que já está rolando a maior discussão a esse respeito nas redes sociais. O problema é que a discussão costuma ser partidarizada: no caso de Belo Monte, a turma do PT defende e os antiPT atacam. Algumas coisas: (1) eu acho que ambientalistas erram nos transgênicos, erram em algumas questões do código florestal e talvez estejam errados também aqui. Afinal, se a barca fosse TÃO furada assim, é difícil imaginar que algumas das empreiteiras envolvidas topassem se envolver. Por mais dinheiro que haja em jogo. Parece que o Parque do Xingu não corre risco, por exemplo.(2) As alternativas de energia eólica e solar não têm escala e competitividade de preços para ser usadas industrialmente por enquanto. Mas terão dentro de algum tempo, talvez no mesmo tempo da construção de Belo Monte. Há quem diga que a energia de Belo Monte vai sair no preço atual de energia eólica – ou seja…. xis…. (3) Parece que o não funcionamento no período de secas está confirmado. (4) Questão complexa que merece muito estudo. Um grande especialista da área é o Luís Pinguelli Rosa, realmente respeitabilíssimo, mas é fato que ele tem uma relação com o PT. Como é duro a gente ser suficientemente (e conscientemente) ignorante numa área…

UPDATE 3: Nesta sexta vou almoçar com um especialista em energia que é apartidário até onde eu sei. Depois divido as informações com vocês.

Reportar

Gostou do post?

82 points
Upvote Downvote
Entusiasta

Escrito por Guest Post

Série do UoD que traz sempre um convidado especial para fazer um update que vale por um upgrade.

Content Author