globo


protected1

Ciclovias oferecem mais segurança aos ciclistas (principalmente as isoladas), mas os cruzamentos continuam sendo uma área de risco pela obrigatória convivência com carros e pedestres.

protected2

A George Mason University participou de um concurso de urbanismo e apresentou uma solução interessante para o problema, o Protected Intersection, resumido neste video:

 

31 comentários
  1. Sou de acordo, Lucas: “pra descer (ladeira) todo santo ajuda, pra subir nem o diabo empurra”. O que é necessário é uma integração entre bom transporte público e meios como a bicicleta. Tenho feito isso aqui em Roma; e, diga-se de passagem que se o Brasil é atrasado em cultura porque o povo usa carro, aqui também é… Há a diferença de que mesmo com um transporte público deficiente, se consegue integrar em certo aspecto, mas não sem esforço, pois a Europa não é o paraíso que todos pensam quando vem passar um tempinho… Tem muita coisa boa que se vê que serve para o Brasil, “comunque” o Brasil não é o atraso que dizem, e, de fato, no caos que é, infelizmente somos praticamente impelidos, forçados ao uso do automóvel. É claro que não devemos depender só de ações externas a nós mesmos, contrário ao pensamento alemão até a Merkel, mas uma iniciativa de cunho individual somada a uma política abrangente é muito mais eficiente.

  2. Enquanto ninguem assumir que não ha mais espaço para os carros, pouca coisa vai mudar….Infelizmente, os grandes centros devem ter acesso limitado ao transporte publico, bikes e motos..

  3. Projeto bacana.
    Me parece que as “ilhas” são uma interferência grande no desenho urbano e poderiam ter us segundo uso além de proteção.
    Mas a escala de proteção está presente aí; Carros estacionados protegem bicicletas que protegem pessoas.

  4. Não sou especialista, mas o projeto é interessante, mas no lugar de criar um bloqueio para os carros, seria melhor reduzir o tamanho das calçadas nas pontas, ao meu ver teria menos custos no início

  5. tanta “regrinha” pra um tráfego saturado, sem transporte público decente, sem estrutura, sem planejamento… Ano após ano a msm coisa pra enganar o povão.
    (se for aplicado aqui)

    1. Certamente não é uma solução pensada para resolver uma SP, é um projeto universitário, provavelmente pensando em urbanismo de novas cidades ou cidades menos caóticas, ou seja, para outros mundos mais desenvolvidos. Mas vale pelo raciocínio.

    1. Tb tinha imaginado isso pq parece um afunilamento, mas acho que as pistas externas são faixas de carros estacionados.

    2. Quanto mais pessoas se tornarem ciclistas, menos carros para competir com o seu no trânsito, Lucas. Pense bem.

    3. Sou um cara que usa o carro só de fds, quando uso.. Apoio qualquer ideia de melhoria, segurança pra cidade.. Mas essa ideia não iria dar certo, infelizmente.. Não temos a cultura e nem uma cidade plana para se andar de bicicleta, tem que priorizar e melhorar o transporte público

    4. é que se ainda não percebeu, a idéia é mesmo reduzir ao máximo o numero de carros nas ruas e deixar as cidades para pessoas e não para maquinas. Mas claramente há quem prefira máquinas, aqui no Brasil, pelo menos, onde carro ainda é simbolo de status. atraso cultural.

    5. Justamente Lúcia! Atraso cultural, enquanto as cidades fora do Brasil investem em mudanças para melhorias das cidades em função das pessoas, o Rio de Janeiro continua com essa política rodoviarista atrasada tornando a cidade num lugar onde os carros são felizes e não as pessoas!

    6. Felicidade virtual… Ficar preso por 2 horas dentro de um carro num engarrafamento ou suar a camisa e chegar em 1 hora de bicicleta? Cada um faz sua escolha….DEIXAR DE PEDALAR PQ A CIDADE NAO E PLANA??? RIDICULO!

    7. Ridículo são as pessoas não terem educação com opiniões contrárias.. Queria ver os amigos pedalarem com dois pinos no joelho

    1. onibus urbano e caminhoes urbanos fazem a curva sim, sem problemas. Outros tipos de caminhoes (carretas e bi trem) não podem mesmo transitar na cidade.

Comente

Você também deve gostar destes