A Lorde de 1975. O Bruce Springsteen de 2014

Engraçado como o tempo passa e as pessoas querem as mesmas coisas. Ou não…

Talvez em 1975, quando lançou o premiadíssimo disco “Born to run”, Bruce Springsteen era a figura mais “esquisitinha “da América do Norte.

Apesar da potente voz, tinha um visual que não era tão adaptado a década de 70. Alternava um “q”deprê que camuflava aonde exatamente sua carreira iria parar. Se eu substituir 1975 por 2013/14 , America do Norte por Nova Zelandia e Bruce por Lorde… o texto se encaixa perfeitamente.

Bruce falava de fugir do sonho americano (até passando com seus carros envenenados pelas mansōes), mas que aquele não era o seu mundo. E, não é que a Lorde em “Royals” diz que os dentes de ouro, champagne Crystal e carros de milhões, entre outros, também não fazem parte de seu mundo.

Os dois adoravam e adoram o subúrbio (pelo menos está nas letras das músicas). Bruce alterou pouco seu visual, foi conquistando o mundo e o resto você já sabe. A Lorde, deve seguir pelo mesmo caminho.

Quer a prova? Veja o video abaixo e curta a versão do “the boss”para “Royals”:

Default image
Paulinho Corcione
Produtor musical auto didata, fanático por Simpsons tanto que se acha o Homer.
Leave a Reply

Ad Blocker Detected!

Refresh