in ,

Meu Corpo, Minhas Regras: O polêmico vídeo a favor da legalização do aborto seguro com atores da globo

Meu Corpo Minhas Regras

Em outubro, no RJ, a diretora de cinema Petra Costa (diretora do excelente documentário”Elena” em 2013) discursou sobre a necessidade de empoderamento das mulheres, em um vídeo que causou bastante polêmica na internet. Como resultado, a fanpage de seu novo filme (Olmo e a Gaivota, 2015), começou a receber uma série de mensagens negativas de pessoas que de alguma forma se opõem ao feminismo exacerbado que o país tem vivenciado.

Daí que a resposta da diretora veio em formato vídeo, e inclui artistas como Julia Lemmertz, Alexandre Borges e Barbara Paz. Um dos assuntos abordados em Olmo e a Gaivota é o poder (ou falta de poder) de decisão da mulher frente a uma gravidez inesperada.

O vídeo, chamado de “Meu Corpo, Minhas Regras”, traz um novo olhar sobre o assunto e questiona: “por que os livros e os filmes raramente abordam as incertezas que se passam na cabeça de uma mulher durante a gravidez?”.

Para a diretora, Petra Costa, todo mundo foca apenas no lado positivo da gravidez, e na nova vida que se forma. Mas muito pouca gente fala sobre a morte que existe ali também. Uma gravidez é também uma morte. A morte da mulher que existia até então – para renascer uma outra mulher que você não sabe ainda quem é.

“Falar de gravidez é um tabu milenar. Contam como se tudo fosse maravilhoso, cor de rosa, sublime. E isso vem desde nossa senhora, que engravidou virgem. Uma gravidez sem sexo, sem corpo, sem desejo, sem medo. Sem sexo? Esse lance de virgindade? Erro de tradução, do hebraico para o grego. Ou do aramaico para o hinduíta.”

alx_brunalinzmeyer_original video-feminismo-interno

Como era de se esperar, o vídeo provocou discórdia entre diversos grupos religiosos, que iniciaram uma campanha de boicote ao filme da diretora e às novelas e peças teatrais das quais esses atores participam.

Abaixo a entrevista da diretora para o GloboNews sobre o filme, o polêmico vídeo e o assunto:

E você, o que acha?

Reportar

Escrito por Fabricio Teixeira

é designer e trabalha para deixar sua vida mais fácil.

2 Comments

Leave a Reply
  1. Eu tenho vergonha da rede Globo ser uma emissora do nosso país… Tenho vergonha de nossos atores e atrizes que participam desse tipo de campanha. Tenho vergonha da Globo.

  2. Lamentável, eu tenho cinquenta anos, graças a Deus e também por misericórdia do médico que iria fazer um aborto em minha mãe. Isso pois, que os meus pais enfrentavam uma situação financeira muito dificil, minha mãe estava de três meses e o médico não quis fazer. Quando fiquei adulta, fui muro de arrimo de minha familia, sempre estive do lado deles apoiando e ajudando, hoje, meus pais jamais iriam querer fazer o aborto. Eu sou contra o aborto, pois estou viva e desejo a vida para todos, ainda que estejam na barriga de um outro. Não vou me identificar para respeitar a minha mãe, que se envergonha e se entristece dessa passagem na vida dela e meu pai também, mas falo a verdade, meu compromisso é com Deus e por isso com a vida.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Carregando…

0

Gostou do post?

82 points
Upvote Downvote