Relacionamentos (ou a trabalhosa virtude da fidelidade)

“Relacionamentos são difíceis. Ponto.”

Poderia encerrar este post com uma única declaração, que não haveria mais discussão. Todos concordam que relacionamentos são complicados.

O início de um relacionamento é a etapa menos trabalhosa. Você chega, fala algumas verdades (nem tão sinceras, às vezes) e espera uma reação. Se positiva, um novo passo é dado. Se negativa, nada teve a perder.

A etapa seguinte, de superação à anterior, ainda não apresenta grandes dificuldades. Basta ser impactante em sua abordagem baseando-se no conhecimento adquirido previamente. Impossível não envolver-se.

A 3ª etapa é fundamental (PS. em alguns casos, a 3ª pode ser a 4ª, mas considerando a velocidade dos acontecimentos hoje, dificilmente será a 5ª). A partir deste momento o relacionamento encontra-se em um impasse: ou você apresenta as reais intenções futuras ou perderá a atenção alheia. Não basta uma proposta vaga, com conteúdo vazio. É necessário apresentar as vantagens do compromisso. Sim: todo relacionamento baseia-se em uma troca de vantagens. Um oferecendo ao outro benefícios que sustentarão o relacionamento por tempo (in)determinado.

As (possíveis) inúmeras etapas posteriores serão a sustentação das 3 etapas iniciais: 1. atenção, 2. envolvimento e 3. conquista. Mas todas levam a um único objetivo: a fidelidade.

Ser fiel não resume-se a um comprometimento entre duas partes. É muito mais. É a aceitação, de forma natural, do outro como confiante e parte da sua rotina. E isso não constrói-se sem definir etapa por etapa. Por mais que você queira controlar a fidelidade, aceite uma verdade universal: o controle é a forma mais eficaz de perder o próprio.

Agora insira as seguintes palavras/expressões no texto acima: database, clientes, ciclo de vida, segmentação e comportamento de compra. Seja na vida pessoal ou corporativa, as etapas de um relacionamento baseiam-se basicamente em estabelecer uma troca contínua que gere um comprometimento natural.  Portanto, não busque a fidelidade à força. Ela é muito instável. Busque a conquista. Ela, sim, é definitiva.

E é esta fidelidade que buscarei por aqui. Escrevendo algumas besteiras da minha cabeça, chamando a atenção de alguns e, quem sabe, fidelizando outros. Mas livre de qualquer controle, claro.

Prazer, Renato!

PS. tema não propositalmente criado em função do dia dos namorados. Mas ainda vale a máxima do marketing: uma casualidade perfeitamente apresentada como planejada 😉


Imagem: Shutterstock

Default image
Renato Camargo
Sou um garoto de programas. Mas aqueles de fidelidade. Falo sobre relacionamentos. Mas aqueles entre empresas e clientes. Qualquer paralelo com a realidade é pura ficção. Head de Loyalty e CRM do GPA e devorador de pães de queijo.

3 Comments

  1. Primeira etapa concluída com sucesso. Parabéns!

Leave a Reply

Ad Blocker Detected!

Refresh