in

Procura-se Inteligência

Inteligência Artificial é o assunto apocalíptico de uma em cada duas conversas.
Entrei numa sala com o título “You, Me & a Robot Makes 3”. Era a apresentação da “insanely cute” chamada Kuri.

A fofura é um mix de R2D2 com a EVA do Wall-E para ter em casa, por US$899. Ela foi criada para ser um membro da família, expressiva, independente, divertida e útil. (Um momento que estou checando quantos membros da minha família correspondem à essa descrição).

Um brinquedão que filma a turma do lar em 1080p, reconhece rostos e focinhos, desvia de objetos, toca música, podcasts, conta historinhas de ninar e manda imagens em tempo real para seu smartphone do que está acontecendo em casa quando você não está lá.
Essa IA não meteu medo em ninguém. No ambiente só se ouvia ahnnn! Eu quero…!

Exploring Innovations in IA

No painel Exploring Innovations in IA, a conversa entre Adam Cheyer (Viv Labs), Nell Watson (Singularity University) e Daphne Koller (Calico Labs) deu uma visão do que de fato está sendo feito por quem está fazendo. Falaram sobre coisas fáceis para humanos e difíceis para máquinas. Adam Cheyer, que desenvolveu a primeira versão da Siri, arriscou a dizer que a Singularidade, prevista para 2029 deve demorar ainda uns mil anos. “São apenas 11 anos de trabalho até lá e a Inteligência é composta de vários fatores como Intuição, Humor, Emoções. E a gente ainda nem sabe direito o que é a Consciência. “

WestWorld

Jonathan Nolan e Lisa Joy, junto do elenco de WestWorld

Mais tarde, os showrunners de WestWorld, Jonathan Nolan e Lisa Joy, junto do elenco da série falaram sobre a 2ª temporada e todo o estrago que seus personagens inteligentes e artificiais e consciência podem fazer. O tema da série é pessimista, mas Thandie Newton, a Maeve, pegou a palavra para falar sobre o que acontece no Congo, um país sem estradas nem ar condicionado disputado por mais de 25 milícias. Lá, a mineração predatória cria um ciclo que leva metais para a produção de smarthphones para serem lavados na Tailândia e o dinheiro financia armas que perpetuam guerra, estupros sistemáticos, coletivos e o genocídio de uma guerra sem fim.

Parece que ninguém sabe o que esperar da IA, mas a gente ainda precisa ter medo do que a inteligência humana é capaz de fazer, principalmente quando os valores são esquecidos.
E depois a gente vê se as máquinas vão mesmo dominar o mundo.

 


Este post faz arte da cobertura oficial do SXSW 2018 pelo Update or Die, diretamente de Austin, no Texas. Não deixe de conferir os outros posts com o melhor do festival na nossa página exclusiva do festival clicando aqui.

Reportar

Updater

Escrito por Duda Hernandez

Co-Founder / Partner na empresa Bee Content Club

Anos de UoD

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Carregando…

0

Gostou do post?

82 points
Upvote Downvote