No sudoeste da França, um projeto revolucionário está em andamento para que os pacientes com Alzheimer possam viver com mais conforto. The Village Landais Alzheimer tem como objetivo oferecer uma vida social “normal” aos pacientes, pelo maior tempo possível.

Inspirada em uma estrutura parecida criada na cidade holandesa de Weesp, a “Vila Alzheimer” oferece habitações construídas para atender gostos diferentes, mais que isso, o local conta com um supermercado, cabeleireiro, biblioteca, academia entre outras instalações.

A ideia é que com um aumento da liberdade dos pacientes, aumente também a felicidade e diminua a necessidade de medicação. Os moradores não poderão deixar o local, eles não usarão uniformes, mas serão vigiados por uma equipe de 120 assistentes e 120 voluntários durante todo o tempo.

O neurologista Jean-François Dartigues diz que, ao manter um estilo de vida “normal”, os pacientes podem se sentir mais livres e, assim, exercitarem seus cérebros.

“Eles vão encontrar uma forma de integridade, social, humana. Eles vão fazer as suas compras, ir ao cabeleireiro, ao restaurante, ao teatro. Eles vão se divertir. O que constitui uma forma de terapia extraordinária”.

O custo do projeto é avaliado em € 22 milhões, com a maior parte dos recursos invertidos pelo governo regional. Segundo a secretária de Estado encarregada dos idosos, Laurence Rossignol, o governo federal investirá € 3 milhões para financiar o projeto piloto. A ideia é expandi-lo para toda a França.

O orçamento anual para o funcionamento da “Vila Alzheimer” é estimado em € 8,5 milhões e os custos serão dividos entre os governos local e federal e os residentes, que deverão pagar uma taxa diária de € 60 a € 65 (média de R$ 290).

A “Vila Alzheirmer” pretende abrir as suas portas em 2019.

Total
20
Shares