Vector, o robô pet

Rosie, a robô funcionária-doméstica dos Jetsons, lembra? É ela que melhor exemplifica o convívio de um robô como parte de uma família. Tem também o robô do seriado “Perdidos no Espaço” (o da série original) ou mesmo o R2-D2. Em comum, essa proximidade com os humanos. O robô de estimação. O robô-pet.

Vector, o robô-pet

O Vector é um primeiro candidato sério para essa vaga, na vida real. Antes dele tinha o Aibo, aquele cachorrinho da Sony (entre outros). Mas o vector é mais versátil. E apesar de ser pequenininho e parecer mais um brinquedo (como sua versão anterior voltada para crianças, o Cozmo), ele tem a grande sacada dos olhinhos capazes de expressar diversos sentimentos diferentes. Olhos são pontos extremamente fortes de conexão humana, desde que nascemos e não foi por acaso que a empresa contratou animadores da Pixar e da Dreamworks só para desenvolver esse repertório de expressões.

dezenas de expressões para te conquistar

O vector só precisa de uma rede wi-fi para funcionar. Ele tem uma camera HD que cobre um campo visual de 120º e 4 microfones para captar comandos no estilo das assitentes de voz.

adora um carinho

Você apenas fala “Hey Vector” e inicia uma conversa, que também pode ser iniciada se você ficar encarando ele por um tempinho. E pode até ser que ele ainda esteja longe de ser uma Rosie, mas é um bom e divertido candidato para ser o primeiro passo nessa direção.

“Hey Vector”, qual a previsão do tempo?
Vector mostrando a temperatura ambiente

O preço do Vector será de 250 dólares e está sendo financiado coletivamente no Kickstarter (já ultrapassou a meta inicial de US$500.000) e deverá iniciar entregas a partir de outubro.

Em tempo: sim, um cachorro é mais legal. O termo “pet” foi usado apenas ilustrativamente ;)