E se o mapa do mundo fosse redesenhado levando-se em conta a população?

Esse foi o insight do economista Max Roser, do Our Worl in Data. Ao invés de pensarmos em territórios, a proposta dele é que vejamos o mundo levando em conta onde as pessoas efetivamente moram, ou seja, um cartograma populacional.

clique na imagem para ampliar. Para formato ainda maior clique aqui

Como funciona um cartograma populacional?

Achou a imagem estranha, cheia de pixels? Pois cada um dos 15.266 quadradinhos do mapa representa 500 mil pessoas, somando, assim, os 7,633 bilhões de habitantes do planeta.

Por essa lógica, o Canadá quase some do mapa e a Rússia fica bem menor do que estamos acostumados, por exemplo.

Os continentes em detalhes

1/6 da população mundial está na África. A Argélia, maior país africano em termos de território, é pouco povoado. Ruanda e Burundi são o inverso, juntos somam 12 milhões de habitantes. Um estudo aponta que Lagos, na Nigéria, será a maior cidade do mundo até 2100. Neste mapa, os nigerianos já pertencem ao maior país do continente.


Alguém viu a Austrália por aí? Nova Zelândia, cadê você?! China e Índia, como era de se esperar, dominam o mapa, já que 1/3 das pessoas do mundo moram lá. Isso representa 60% da população total da Ásia. Roser destaca que a área metropolitana de Pequim tem a mesma população de toda a Austrália, enquanto que a população de Tóquio é quase igual à soma de todos os habitantes da Oceania.


A população total da Europa é quase a metade da China e representa menos de 10% da mundial. Quando pensamos no mapa tradicional, a Rússia ocupa 11% das terras do mundo. Neste, as matrioskas têm menos de 2% dos habitantes do mundo.


1 bilhão de pessoas vivem nas Américas. A América do sul parece não mudar tanto, apesar do Brasil ter um formato diferente. Na América do Norte, com uma densidade populacional de apenas 4 pessoas por km², o Canadá quase some do mapa, apesar de ser o segundo maior país do mundo em território.

Se você quiser ver o mapa com uma resolução maior, é só clicar aqui. E se quiser entender como Max Roser desenvolveu o cartograma populacional em detalhes, leia mais aqui.

Default image
Jessica Panazzolo
Jornalismo, marketing, comunicação e facilitação. Fã de séries, gatos, artes plásticas e desenvolvimento humano.
Leave a Reply

Ad Blocker Detected!

Refresh