in

O primeiro festival de mullet do mundo

Em maio deste ano, aconteceu em Kurri Kurri, na Austrália, o primeiro festival de mullet do mundo. É, um festival do corte de cabelo.

Por alguma razão, os moradores da cidade acreditam que o mullet foi inventado ali – motivo suficiente para que um pub (claro) do local inventasse essa história. 

Além de reunir aquela que foi – provavelmente – a maior concentração de pessoas que usam mullet do mundo, o festival ainda premiou os melhores em diferentes categorias – Mullet Júnior, Mullet Feminino, Mullet Cotidiano e, claro, o Melhor Mullet de Todos.

E, se você acha que o festival fracassou, saiba que as inscrições tiveram que ser encerradas antes do prazo previsto por conta do excesso de demanda. Foram 154 mullets inscritos. 

Mas afinal, qual a origem do mullet?

Popular no Brasil especialmente nos anos 90 (inclusive, se você for ler a definição nos moldes Wikipedia de mullet diz que por aqui o corte é conhecido como “Xororó”), o mullet refere-se a um corte de cabelo ou, em sentido mais amplo, é usado na moda também para representar peças, como camisas, saias ou vestidos, com corte mais curto na frente e alongado na parte de trás. 

Mas a origem do termo como ele é conhecido hoje é conferida à banda Beastie Boys. Até o lançamento da música “Mullet Head”, em 1994, mullet ainda era mais usado para descrever um peixe que tinha a cabeça larga e achatada do que para nomear o corte de cabelo propriamente dito. A tainha, sabe?

Por sinal, é assim que os portugueses chamam o tal corte até hoje. Mas aí o tempo passou, a letra da música dos Beastie Boys disse “Number one on the side and don’t touch the back / Number six on the top and don’t cut it wack” e parece que tudo mudou… 

E… hoje tem uma galera indo até em festival para exibir seus mullets.

Reportar

Gostou do post?

82 points
Upvote Downvote
Hero

Escrito por Gustavo Giglio

Updater, sócio do UoD, diretor de marketing/novos negócios.

100 Posts Mr. Postman!1000 Posts NinjaContent AuthorStory Maker

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Carregando…

0