in ,

O cotidiano cosmopolita de Pascal Campion

Pascal nasceu em Nova Jersey – EUA, mas logo com 3 anos de idade se mudou com sua família para o sul da França, onde se divertia ilustrando as belas paisagens da Provença por horas. Aos 7 anos de idade já copiava várias capas de revistas a pedido do seu irmão mais velho.

Street corner

Em 1998, Pascal começou a estudar ilustrações no Arts Decoratifs de Strasbourg, na França. Seu esforço foi dedicado na narrativa através da arte, sem o uso de computadores, tudo no braço. Depois de se formar, seu irmão Sean montou um computador caseiro que possibilitou Pascal desenvolver sua habilidade gráfica, nascendo assim um artista digital.

There is always sunshine after the storm

Em 2001, uma oportunidade o trouxe novamente aos EUA, dessa vez para o Havaí, onde trabalhou na PREL, criando jogos educacionais. Depois de um período em Oregon, em 2005 se fixou em São Francisco trabalhando ainda em alguns jogos para a Leapfrog.

Shhhh.. it was just a bad dream

Em 2007, casado e já com um filho, Pascal começou aprimorar seu estilo. Sua família se tornou sua inspiração para suas obras particulares. Apesar de sua rotina pesada no trabalho, foi nas redes sociais onde Pascal viu a oportunidade de criar o “Esboço do Dia”, onde todas as manhãs, a primeira coisa que fazia era criar um esboço colorido de uma situação trivial da vida na cidade.

Talk to me

Até hoje suas obras retratam momentos singelos do cotidiano cosmopolita. As vezes um pequeno momento íntimo de um casal, as vezes uma solidão contemplativa, desenvolvendo assim sua assinatura. Essa rotina rendeu um arquivo com milhares de esboços e quase 500 mil seguidores no Instagram, além de outros milhares no Facebook.

Breakfast at two

Seu traço marcante com ilustrações riscadas e verticalizadas possibilitou a criação de vários projetos como design conceitual para o cinema e televisão. Tem em sua bagagem clientes como Disney, Dreamworks, Paramount Pictures, Cartoon Network entre outros. Em 2013 Pascal apresentou sua primeira exposição de arte solo na Galerie Arludik em Paris, França.

The audition

No dia 21 de janeiro de 2019 seu trabalho será mais uma vez reconhecido estampando uma das capas mais emblemáticas do mundo, a da revista The New Yorker, que desde 1925 reproduz belíssimas e icônicas capas colecionáveis que retratam o cotidiano do cidadão Nova-iorquino. Sua alegria perante a importância deste trabalho é evidente e pode ser conferida no seu Instagram.

Reportar

Gostou do post?

83 points
Upvote Downvote
Contributor

Escrito por Caio Fischer

Publicitário, curte videogames antigos, motos, vento na cara, fotografias, músicas no shuffle e histórias de guerra. Apoia a adoção de animais e um mundo mais analógico.

Anos de UoDStory MakerContent Author100 Posts Mr. Postman!

Comentários

Carregando…

0