in ,

Corinthianismo: A conversão do futebol em algo maior

O Corinthians divulgou ontem por meio de seu perfil no YouTube um vídeo de sua nova campanha: CORINTHIANISMO – FIEL ATÉ O FIM. Nele, diversas passagens marcantes do clube são narradas, desde escorregões históricos até os momentos de suas maiores glórias. Confira abaixo:

A peça assinada pela F/Nazca Saatchi & Saatchi (agência já conhecida do time pela famosa campanha República Popular do Corinthians de 2010) traz ainda um craque bem querido de seus torcedores compartilhando sua definição sobre o clube: Sócrates, em um discurso cativante e facilmente reconhecível pelos torcedores.

Contexto
Segundo o Censo 2010 feito pelo IBGE, 86,8% dos brasileiros identificaram-se como cristãos, fazendo com que os signos utilizados no vídeo sejam facilmente reconhecidos por grande parte de sua torcida de 27,3 milhões de brasileiros, segundo números obtidos por uma pesquisa realizada pelo Datafolha no ano passado. Ou seja, se por um lado abordar uma temática tão sensível quanto religião em uma campanha publicitária possa ser arriscado, a relação da temática com grande parte de seu público é praticamente garantida.

Torcedora segurando uma representação de Sócrates com um sofá pegando fogo ao fundo, representando a iniciativa da torcida corinthiana em acompanhar os jogos no estádio.

Referências
O vídeo traz diversas referências religiosas (como São Jorge e caracterizações de Jesus), criando uma representação do vínculo que a marca Corinthians representa para sua torcida mais aficionada, extrapolando as 4 linhas do campo de forma inusitada.
Criando analogias entre diversas passagens bíblicas (como a notícia de que o Corinthians havia sido rebaixado em 2008 com a imagem de um homem carregando uma cruz ou a imagem de uma santa chorando algo que assemelha-se a sangue com a notícia de que o time foi o primeiro brasileiro a ser eliminado na fase de pré-libertadores), a produção audiovisual retrata as dores que a fé pode trazer aos seus seguidores, e a relação cada vez mais fortalecida criada por esse vínculo. Com todas as cenas gravadas em preto e branco, o início do vídeo parece buscar ressaltar, por meio de sua sonoplastia, a aflição das diversas derrotas sofridas pelo Corinthians, até atingir um tom vibrante e contagiante de sua torcida ao exibir suas conquistas, como os seus principais troféus (a taça Libertadores e do Mundial de clubes), seguindo por um homem levando-se da água, como se ele tivesse acabado de ser batizado, renascido.

Hotsite da campanha.

A campanha abrangeu a atualização de layout das redes sociais e site do time pela nova comunicação visual da campanha, além da criação de um hotsite: corinthianismo.corinthians.com.br.
Lá, é possível interagir por meio de depoimentos no ‘Confessionário’ sobre Sacrifícios já feitos pelo time, Simpatias pra vitória ou até Milagres que já presenciados. Existe também a possibilidade acender uma vela personalizada para a equipe, com o intuído de fornecer proteção para a mesma (aqui, o usuário deve preencher um breve cadastro, gerando um mailing atualizado para o clube).

Brasão original ao lado da versão alternativa, criado para a campanha.

Logo minimalista
A campanha também marca a apresentação de uma alternativa ao brasão do clube, que assemelha-se a um crucifixo usado em orações. De aspecto simplista, o novo brasão reflete a simplicidade na devoção de seus torcedores de forma prática e certeira, ressaltando esse lado quase mítico de alguns corinthianos.

Produtos temáticos da campanha.

A aposta dessa nova campanha é bem diferente da lançada pelo seu principal rival, o Palmeiras, cujo nome é “Verde é a cor da inveja”, assinada pela agência Bullet e o Coletivo La Luna. O Corinthians aposta mais no lado religioso da conexão com seus torcedores e aspectos ligados a fé, diferenciando bastante a temática entre ambas. Apesar da legitimidade aparente entre a ligação de um torcedor e seu time de futebol, o conceito usado pode trazer algumas indagações por conta do aspecto financeiro atrelado ao mesmo (já que diversos itens como camisetas e o próprio crucifixo personalizado começaram a ser vendidos aos torcedores). De qualquer forma, a abordagem traz uma retratação verdadeira com que muitos torcedores irão se identificar, consolidando ainda mais a relação que tem com o clube.

Reportar

Gostou do post?

91 points
Upvote Downvote
Expert

Escrito por Estevan Sanches

Publicitário, movido por tentar compreender as diferentes relações sociais que movem o nosso mundo. Membro no conselho do Centro Acadêmico 4 de Dezembro da ESPM.

Anos de UoDContent Author100 Posts Mr. Postman!

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Carregando…

0