in

‘WTF is Venture Design?’

“Grandes empresas desejam se comportar como startups. Startups desejam escalar como grandes empresas. É o momento de começar a pensar como um designer.” –IDEO, empresa global de design e inovação.

A oferta de serviços de Venture Design está emergindo no Brasil e como profissional àvida por estratégias contemporâneas de negócios, criatividade, nova economia, futuro digital e comportamento, eu tenho um interesse genuíno e claro por este processo. Mas antes de responder “WTF is Venture Design?”, vou falar sobre criatividade e miopia na interpretação sobre o que é Design.

Óbvio que existem os criativos natos ou pessoas que desenvolvem habilidades para este fim. O que diferencia o profissional que trabalha com a criatividade, como um Designer, é que ele combina profundo conhecimento sobre assuntos específicos e observação consistente de padrões emergentes, captalizando esse ‘match’ em oportunidades que resultam em percepções únicas. Criação não surge totalmente do zero, requer repertório.

Normalmente o Design é associado à artefatos, estilo visual, construções, gráficos, artes. Infelizmente, mesmo no ambiente de negócios, ele pode ser interpretado através de uma visão míope sob a perspectiva estética. Mas este não é o principal valor do processo: o Design, quando atrelado à inovação, desafia radicalmente o status quoPor isso, startups de sucesso priorizam o design como uma parte fundamental da sua evolução. Destaco aqui os casos famigerados como Nubank, Uber, Airbnb.

A abordagem de Venture Design ocorre quando uma agência de Design, Criatividade e Inovação cede serviços e métodos para impulsionar o avanço de ideias empreendedoras, startups e empresas, num processo dinâmico e repetível, rompendo os desafios da inovação, tais como orçamentos enxutos, prazos curtos, riscos e incertezas. Em alguns casos, a ideia avança mas “morre” em algum momento, por esbarrar na burocracia, em processos morosos, por não levar em conta a voz do cliente ou perder o “timing” do mercado. Apesar do hype em torno do empreendedorismo e das startups, o fracasso é muito comum neste meio. 

Acredito que o propósito de desenvolver o empreendedorismo seja definitivamente válido para Frog Design, agência reconhecida mundialmente ou para o estúdio boutique AA Venture Design, atuante no Brasil e no exterior, que tem a proposta de criar, planejar, construir e realizar estratégias contemporâneas e vanguardistas de negócios e que integrem a experiência física, digital, marca, produto, serviço e mercado. O estúdio tem a missão enraizada de transformar o potencial de negócios em performance, visando aprimorar a experiência do cliente, do consumidor, do cidadão, do trabalhador. Criar negócios de valor e estratégias de Go-to-Market para potenciais empreendedores e empresas é o “Job-to-Be-Done” de grupos como a Frog Design e byAA.

Quando bem estruturado e aplicado, o Venture Design pode habilitar rapidamente uma startup ou empresa a capturar novas oportunidades de mercado, expandir capilaridade em mercados atuais, fortalecer relacionamentos com clientes, desenvolver capacidades internas de inovação e até mesmo reinventar negócios ou desenvolver oportunidades disruptivas. O poder do Venture Design reside na capacidade de estimular o pensamento criativo, encontrar soluções e tomar decisões fora das máquinas corporativas, através do design thinking, criação de protótipos, processos iterativos e ambientes de experimentação (a tal sandbox), para que ideias sejam desenvolvidas e testadas sob as perspectivas e touch-points da experiência do cliente, previamente ao “Go-to-Market” do negócioTudo isso para mensurar impactos, obter provas de conceito do mundo real e tudo o que envolver a concretização de um novo negócio, concentrando todas as etapas do planejamento e antecipando cenários com agilidade e eficiência.

Tem uma ideia empreendedora de inovação na mente e quer saber mais? Comente abaixo. Será um prazer interagir com você.

Reportar

Veteran

Escrito por Andreia Araujo

Escrevo sobre estratégias contemporâneas de negócios, digital e tecnologias emergentes.
Nas horas vagas misturo abordagens criativas de lean startup, design, branding e estratégia de mercado para transformar potencial de negócios em performance.

Gostou do post?

14 points
Upvote Downvote