in

Marca de bebida energética é condenada por plágio

Rich Energy, principal patrocinador da Haas, utilizava elemento pictográfico muito similar ao logo da Whyte Bikes

O principal patrocinador da equipe Haas, da Fórmula 1, terá de desenvolver uma nova identidade visual. A marca de bebida energética Rich Energy, do Reino Unido, foi condenada nesta semana num tribunal britânico por uso indevido de propriedade intelectual de terceiros, Ou seja: um caso claro de plágio. Sim, o logo da Rich Energy tem uma “incrível semelhança” com o da Whyte Bikes, fabricante inglesa de bicicletas, que existe desde 2008 com essa identidade visual.

Do ano passado para a temporada 2019, a Haas mudou a cor do carro e o patrocinador principal. Quando passou a estampar na lataria dos carros o logo da Rich Energy, chamou a atenção da Whyte Bikes. Fundada em 2010, a bebida energética utiliza uma cabeça estilizada de um cervo como logo, exatamente os mesmos traços, ângulos e proporções da identidade visual da marca de bicicletas, evidenciando o plágio.


Traços, ângulos e proporções são os mesmos utilizados na identidade visual da Whyte Bikes

No julgamento, a juíza Melissa Clark não aceitou os depoimentos do CEO da Rich Energy, William Storey, e do designer Sean Kelly, pois não os considerou como confiáveis. Além disso, tratou todas as provas apresentadas pela defesa com um alto grau de cautela.

– Fazendo um balanço das probabilidades, os senhores Storey e Kelly mentiram sobre não conhecerem previamente o logo da Whyte Bikes. Também considero que de fato eles o copiaram de forma consciente para o seu logo – declarou a juíza Clark.

GP de Mônaco
A condenação da Rich Energy impõe que ela deixe de utilizar imediatamente o elemento pictográfico alusivo ao cervo. A próxima grande aparição da marca nos carros da norte-americana Haas será na corrida mais tradicional da Fórmula 1, nas ruas de Monte Carlo. O GP de Mônaco ocorre nos dias 23, 25 e 26 de maio. Além de correr contra o tempo, a bebida energética terá também de adequar todos os materiais de merchandising envolvendo a equipe.

Estrago na imagem
Quando nos perguntamos “quanto vale uma marca?”, em geral a resposta é “depende”. Mas quando a questão muda para “quanto custa para uma marca um abalo na reputação?” A resposta sem dúvida passa a ser “muito caro”. A construção de marca passa por várias camadas e por passos estratégicos em busca de diferenciação, originalidade. Marcas são promessas ao consumidor, devem ser únicas e memoráveis. Assim como a dupla de criação está para as agências de publicidade, com o redator e o diretor de arte, a dupla de branding, com o estrategista e o designer, está para a construção de marcas sólidas, verdadeiras. Nesse caso, o energético deveria cogitar até mesmo um reposicionamento junto com o novo logo para amenizar a crise na imagem. Ficou feio e respingou na equipe Haas.

Alfinetada
No dia da publicação deste artigo, o site da Whyte Bikes dava destaque para a condenação da Rich Energy nesse episódio de plágio no logo, inclusive apontando link para o resultado do julgamento.

Reportar

Veteran

Escrito por Juliano Schüler

Natural de Porto Alegre, fundou e foi sócio da agência Quater por sete anos, atuando como Head de Conteúdo e Criação. Atualmente vive em Nova York, onde cursa Building Brands with Purpose na New York University (NYU). Schüler é publicitário, jornalista, pós-graduado em Branding de Conteúdo e Cocriação (PUCRS)

Gostou do post?

6 points
Upvote Downvote