Sobre a habilidade de criar inimigos

Existem certas pessoas que têm o dom da inimizade quase instantânea, basta a primeira interação e no fundo do seu âmago, você sabe que aquela pessoa vai se tornar sua inimiga.

Talvez sejam os feromônios, talvez seja o carma, os signos que não batem, existem mil explicações para o fenômeno do “odeio o(a) fulano(a) pra caralho”.

Ambos simplesmente não se aguentam e ironicamente, ficam perdendo tempo pensando um no outro. E por algum motivo o universo te coloca para interagir justamente com essa pessoa, e como a lei de Murphy insiste em acertar, o que pode dar errado, vai inevitavelmente dar errado.

A fúria de titãs se inicia.

E pelo menos para mim, sempre, seeeempre, o sentimento que fica depois da treta costuma ser:

A-R-R-E-P-E-N-D-I-M-E-N-T-O

Os nervos ficam completamente fora de controle, palavras que você nunca imaginou proferir saem como torrões de água na queda de uma cachoeira, os olhos injetados de sangue pulsam sem parar, o coração batendo como num passeio de montanha-russa, porém sem barra de segurança para te segurar no final, é ai que o arrependimento bate, como o chão que rasga o joelho quando você é uma criança doida que não para de pular e correr.

É muito rápido, você mal percebe, mas um furacão entrou na sala e deixou muitos feridos (principalmente quem não tinha nada haver com o assunto), alguns irremediavelmente e pronto, você tem um inimigo, ou vários, dependendo do grau de destruição das suas palavras.

Além de que TODO mundo fica com a mesma cara:

E é por isso que escrevo este texto, para que eu não me arrependa do que pode sair da minha boca nas próximas horas, afinal de contas, tenho uma reunião em breve com um dos meus maiores inimigos.

Tomara que eu volte a ler isso daqui e saiba que não dei uma de Davy Jones e “Release de Kraken” pra cima de ninguém.

Se você é do meu time, espero que esse texto te ajude de alguma forma. Aqui vai um conselho que tenho exercitado bastante:

Quando ficar puto(a), faça algo que você gosta muito de fazer e que possa ser feito de imediato, tipo ouvir a sua música preferida, desenhar ou veja só: escrever.

Deixe a treta de lado, o tempo passa, o arrependimento não.

É o que estou fazendo nesse exato momento, transformando minha raiva em algo positivo.

É isso ai, vida que segue.

Default image
Daniel Fukuda
Leave a Reply

Ad Blocker Detected!

Refresh