“Fala que eu te escuto, plantinha…” (um vaso interativo para seu pezinho de manjericão)

Dizem que, com o tempo, pais de primeira viagem aprendem o que os bebês querem dizer com seus grunhidos e sons ininteligíveis.

Com propriedade, posso reforçar que donos de animais como cachorros e gatos estabelecem códigos de comunicação próprios com seus pets – inclusive, sabemos que os cães conseguem identificar e responder a sinais de angústia de seus donos -, reforçando a empatia entre os seres.

No geral, elementos antropomórficos (que fazem com que algo se assemelhe a um ser humano) tendem a aumentar a empatia com ‘não humanos’, incluindo animais e mesmo objetos. Há, inclusive, uma tendência das pessoas atribuirem características humanas a coincidências visuais (pareidolia).

Muito bem… mas, e as plantas, heim?

Bem, mesmo sendo seres vivos, a ausência destes elementos gera um maior distanciamento nesta relação. Tudo bem, você pode até conversar com seu pezinho de manjericão (quem nunca?), entretanto, a empatia com a natureza (excluindo-se, aqui, animais) é difícil sem que haja uma personalização ou antropomorfização.

Mas, se você sempre quis se sentir mais conectado à sua plantinha querida, seus problemas acabaram!

A empresa Mu Design, de Luxemburgo, criou um vaso de plantas interativo que tem como objetivo dar um pouco mais de vida (no sentido figurado) à sua planta. Por meio de sensores, o Lüa faz o acompanhamento da umidade, temperatura, exposição ao sol, movimento e ainda lê QR Codes da tela do smartphone que transmitem informações ao vaso, criando a sensação de interação entre você, caro leitor, e sua planta.

O vaso também traz um sensor de movimento e acompanha com os olhos qualquer outra criatura nas redondezas (poderia até expandir para um sistema de monitoramento de segurança, heim?); a empresa também cogita incorporar um sensor de pressão atmosférica, o que permitiria com que o vaso te informasse se vai chover ou não.

O vaso interage por meio de 15 animações / emoticons, informando ao proprietário a situação da planta, afinal, como dito pelos criadores, até “sua planta tem necessidades mas não consegue comunicá-las a você”.

OK, claro que neste caso não estaríamos tratando exatamente da comunicação entre seres e plantas, mas apenas de uma representação simbólica que já serve para estreitar os seus laços afetivos com sua samambaia, por exemplo. Na verdade, até mais do que isso, já que o vaso efetivamente monitora as condições do ambiente.

O produto está atualmente em processo de crowdfunding no Indiegogo até o final de 2019, já tendo alcançado seu objetivo. O preço sugerido para o Brasil é de R$ 414,00 e quem está mais animado com isso aqui em casa é Robert, minha plant (trocadinho intencional).

Default image
JC Rodrigues
JC Rodrigues (jcrodrigues.net) é mestre em Comportamento do Consumidor (com estudos sobre carros autônomos e seres artificiais), palestrante, especialista em storytelling, negócios digitais e impacto da tecnologia no comportamento humano. Professor de Storytelling e do MBA em Comunicação Digital na ESPM, tem uma pug chamada Maya, publicou quatro livros sobre comportamento e tecnologia e, durante as crises de abstinência, escreve artigos despretensiosos a respeito da interação entre o ser humano e máquinas.
Leave a Reply

Ad Blocker Detected!

Refresh