in

‘Carnival Row’ já disponível no Prime Video

O seriado épico, que demorou quinze anos para sair do papel, vale o play? Spoiler: Vale.

O roteirista Travis Beacham vendeu seu primeiro roteiro, “A Killing on Carnival Row“, para a New Line Cinema em 2005. O projeto ficou em processo em vários estágios do desenvolvimento do filme por anos; a certa altura, Guillermo del Toro estava em negociações para dirigir. Por fim, a Amazon colocou as mãos nela e, em colaboração com Beacham, transformou em uma série de TV completa.

Então, “Carnival Row” e seu mundo existem na mente de Beacham há mais de 15 anos, finalmente nasceu:

Esta é uma série gigante, em escala e escopo. A primeira temporada de oito episódios é uma história de amor e uma épica guerra, uma alegoria de imigração e um mistério de assassinato, além de ser ambientada em um universo de fantasia original, com histórias e contos de sobra. Parece uma história que qualquer storyteller espera há décadas para finalmente ter a chance de contar, e mesmo que a crítica não ache que tudo funcione perfeitamente, é preciso admirar a ambição do empreendimento. Além disso, o design de produção, os cenários, os figurinos e os efeitos especiais são todos de primeira qualidade, conjurando uma realidade alternativa ricamente detalhada que realmente parece que se estende além das bordas deste quadro.

A ação ocorre em grande parte em uma poderosa cidade-estado vitoriana ao estilo de Londres, conhecida como The Burge. Eles estão presos em um conflito intratável com o outro grande império humano deste mundo, o Pacto – dos vilões. Digo “humano” porque o mundo de “Carnival Row” também é povoado por inúmeras espécies que permanecem puramente mitológicas em nosso mundo: fadas, trolls, faunos, centauros e assim por diante. O conflito entre Burge e Pacto transformou as pátrias dessas criaturas (conhecidas como “critches” por seus opressores humanos) em colônias e até em campos de batalha, criando uma enorme população de refugiados.

E é aí que o show começa, com o veterano e inspetor da polícia de Burgish Rycroft Philostrate (Orlando Bloom) se reunindo com sua namorada em tempos de guerra, a fada refugiada e lutadora de resistência Vignette Stonemoss (Cara Delevingne) investigando uma série de assassinatos brutais.

Mas também existem várias sub-histórias, projetadas para nos fornecer uma ampla seção transversal da sociedade borgonha. Então, seguimos o sequestro de alto perfil do filho do Chanceler Absalom Breakspear (Jared Harris), o confronto entre uma socialite esnobe (Tamzin Merchant) e o rico fauno (David Gyasi) que se muda para seu bairro de tony, o dia-a-dia dias seguidos em um bordel de fadas, as profecias sombrias do relógio conhecidas como Haruspex, e assim por diante.

Beachem e o co-criador / showrunner René Echevarria parecem ter todos os cantos do verso “Carnival Row” mapeados, com histórias e idéias suficientes para mantê-los por 10 temporadas.

Muito disso funciona, e tudo parece ótimo, mas não posso deixar de sentir que o programa se beneficiaria de um pouco mais de foco no desenvolvimento do personagem e muito mais personalidade. “Carnival Row” certamente toca em questões como imigração e os males das guerras imperialistas, mas na verdade não tem muito a DIZER, pelo menos, não muito a dizer que não vimos e ouvimos dezenas de outras vezes em outros lugares – como em outros shows de TV e Filmes.

Há muitos detalhes no show e uma tonelada de construção do mundo, mas não uma quantidade tremenda de insight. E tudo bem… Mas também significa que não há necessidade de um tom sério. Se “Carnival Row” fosse um pouco mais amplo, com um pouco mais de autoconsciência de ser meio bizarro e excêntrico, pode ser realmente divertido.

Mas podemos nos contentar com o imersivo e extremamente ambicioso projeto, acredito.

. Carnival Row
. Amazon Prime Video (Já no Brasil)
. Episodios: 8 (T1)
. Tempo Médio: 55 minutos cada
. Drama-Fantasia

Reportar

Legend

Escrito por Julio Moraes

Julio Moraes é empresário e atua na área de estratégia e planejamento em Marketing & Digital há mais de 16 anos e conta com trabalhos em mais de 20 empresas nacionais e internacionais. Atualmente vivendo e trabalhando em Los Angeles e com trabalhos ganhadores do EMMY® - The Television Academy e indicados ao HFPA® Golden Globes.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Carregando…

0

Gostou do post?

101 points
Upvote Downvote