TV & Séries

Chelsea Handler retorna com novo documentário para Netflix

Durante as filmagens de seu novo documentário da Netflix, ‘Hello Privilege. It’s Me, Chelsea‘, Handler disse que precisava enfrentar algumas coisas. Mais notavelmente, como ser branca a coloca em posição de privilégio e esse ‘privilégio branco’ não é apenas um termo que se aplica a pessoas brancas ricas.

Eu sempre pensei que era um certo grupo de pessoas que entra em Harvard ou Yale ou que tem pais ricos“, disse Handler a Kimmel. “É um privilégio apenas ter pele branca neste país, é um privilégio entrar em uma mercearia e não ser encarado, é um privilégio ser parado e não se preocupar se é uma situação de vida ou morte.”

Vale apontar que, durante as filmagens, Handler foi obrigada a fazer um treinamento de assédio sexual depois de dar um “tapa na bunda” de uma mulher negra enquanto a abraçava – e a empresa receber a reclamação/denúncia do ato. – “Imediatamente fiquei na defensiva. Estou tipo, não estou batendo nela. Então, liguei para o telefone e disse: ‘Por favor, me diga o que fiz de errado’.”

Ela disse: ‘Escute, há anos e anos, as mulheres negras são definidas por seus cabelos e suas bundas. Você não tem o direito de tocar meu corpo‘”, continuou Handler.

Depois de ouvir sobre o impacto que seu comportamento teve sobre a mulher, ela disse que teve “um grande alerta“. “Não é sobre o que você quer dizer, é sobre o que a pessoa entende.”

O documentário tem estreia nesta sexta-feira, globalmente, pela Netflix.

Comente

Ad Blocker Detected!

Refresh