As mídias sociais trouxeram uma verdadeira transformação para o dia a dia das pessoas no mundo inteiro. As celebridades não são somente músicos ou artistas de cinema, são pessoas comuns, que por alguma razão se destacaram no mundo virtual e angariaram milhões de seguidores. Atualmente, um perfil bem engajado e em crescimento, representa a possibilidade de fazer renda e ganhar muito dinheiro com um clique. Esse glamour em torno da vida dos influenciadores digitais, enche os olhos da nova geração, de modo que, segundo levantamento da Revista Trip, nos Estados Unidos, já existem mais youtubers do que psicólogos ou dentistas.

Porém, a versatilidade da internet e a dimensão que os ganhos advindos dela proporcionam esconde uma realidade frustrante para os jovens sonhadores. Conversei com a psicóloga Leninha Wagner e ela me informou que o mercado não pode absorver mais produtores de conteúdo. Pois, “há uma vida real acontecendo. Há pessoas com ansiedade e depressão. Por trás dos bastidores, longe dos holofotes há seres humanos se fragmentando”.

Ela avaliou que psicólogos e psicanalistas nunca trabalharam tanto. A quantidade de jovens querendo trabalhar com internet é tão grande, que os profissionais da saúde mental estão precisando desenvolver técnicas para trazer os jovens de volta à realidade do trabalho convencional. De fato, com uma porcentagem de retorno tão baixa, é difícil acreditar que profissões tão importantes para a sociedade estão se tornando “extintas” por conta de uma minoria que faz os jovens acreditarem que é fácil e divertido trabalhar apenas utilizando a tela de um celular.

Os sonhadores do mundo digital terão o mesmo destino de quem sonhava em viver de música. Hoje em dia os músicos estudam cada vez mais e estão se tornando profissionais completos. Aprendem diversas línguas, instrumentos, gestão, composição, entre outras funções necessárias para um profissional de sucesso. Por outro lado, as métricas de vaidade podem ser importantes aliadas na avaliação vocacional de quem sonha em ser influencer.

Por isso, defendo sempre que deve ser realizado um teste vocacional para identificar as habilidades particulares de cada pessoa. Os testes consideram o perfil psicológico, a personalidade, o histórico acadêmico, as preferências, as habilidades naturais e os objetivos pessoais do estudante na sua análise. Podendo assim, evitar frustrações nos nossos jovens. Para ser influencer, é importante ter amplo conhecimento em ferramentas digitais, administração de carreiras, marketing, línguas e qualquer outro de utilização da internet. Muito se engana quem acredita não precisar de muito conhecimento para ser um influencer de sucesso.

Comente

Posts Similares