O Breu Povoado

nbsp

Sou um fã confesso de horror. Sempre estou buscando – nos games, na literatura e no cinema – obras que se enquadrem nessa categoria e, para minha alegria pessoal, nos últimos tempos tenho me deparado com excelentes conteúdos que preenchem esse gosto.

Nesse post, venho dividir minha última leitura arrepiante: o livro de contos O BREU POVOADO do autor Oscar Nestarez. Primeiramente, é preciso ressaltar um primeiro ponto importante desse trabalho: é literatura brasileira de horror. É imensamente prazeroso saber que autores nacionais estão se dedicando – aparentemente – cada vez mais para produzir conteúdo nessa área. Feliz para aqueles que, como eu, apreciam um entretenimento de horror lúdico.

E o novo livro de contos do Oscar é isso: puro horror lúdico.

O BREU POVOADO é um compêndio de 14 contos que tratam de temas variados com ambientação de horror. Nas páginas do BREU, há alucinações, fantasmas, vampiros, entidades sobrenaturais, psicopatas e muitos elementos que encontramos nas boas histórias que causam aquele desagradável(?) frio na espinha. Mas as narrativas deste livro há algo que chama a atenção: como o autor sempre mescla os elementos do horror com aspectos do cotidiano.

Sim, é isso que me encanta sobremaneira nas histórias; elas começam em ambientes familiares – uma feira literária, uma praia paradisíaca, uma ONG que cuida de crianças carentes, um país em crise, uma festa de um rico excêntrico. A partir desses cenários, aparentemente banais, as situações mais tenebrosas se desenvolvem – justificando, inclusive, o “alerta de gatilho” nas páginas iniciais da obra.

Três contos ficarão gravados nas profundezas da minha memória por um bom tempo: “Nellie vai para casa”, uma história incrível sobre as raias da loucura, “O bonecro”, conto com um final extremamente absurdo (e criativo!) e “O breu povoado” que é uma narrativa baseada em uma viagem feita pelo autor para o Haiti.

Sou fã do trabalho do Oscar. Já mencionei outro livro dele nesse post aqui. Espero ansioso pelas próximas publicações do Sr. Nestarez. Vida longa ao horror brasileiro!

Vince Vader

Games, rock & roll e bacon.

post anterior
nbsp

Sobre quando teremos uma IA de nível humano

próximo post
nbsp

O genial outdoor de Corona revelado pelo sol

relacionados