Cannes Lions: o que assistir no primeiro dia

A minha listinha Cannes Lions, quem sabe bata com o que você também se interessa por ver. Confira.
nbsp

O Cannes Lions está chegando e cá estou eu me organizando, com objetivo de extrair o melhor do que o maior festival da propaganda mundial tem para oferecer. Esta é a minha listinha, quem sabe bata com o que você também se interessa por ver. Confira:

A Call to Action” será a primeira palestra do festival e acontecerá no Lumiere Theatre, como um enorme convite para que as marcas entendam a importância de assumirem a responsabilidade de promoverem o bem, em todo o mundo. No papo, exemplos como a trágica situação na Ucrânia, representando um divisor de águas para todas as marcas e negócios, e a escolha de ficar do lado certo da história. O papo será suportado por um estudo da Edelman que aborda a “confiança”, através de dados analisados dos ultimos 20 anos. 

Alma e Pepsi subirão ao palco do Debussy Theatre para compartilhar o processo de co-criação da genial campanha #BetterwithPepsi“,  que ainda contou com um craft primoroso. O ponto alto desta conversa promete ser a colaboração entre agência e cliente, na construção de uma relação de confiança para verdadeiramente fortalecer a criatividade nos trabalhos.

Ainda no Debussy Theatre, McDonald e a Wieden+Kennedy terão um papo mediado pela Fast Company sobre como esquecer os inimigos e ouvir os fãs, na busca por uma marca muito mais interessante e conectada com o que a audiencia admira.

Walmart, Flywheel Digital e Ogilvy Experience estarão no palco The Fórum e prometem uma conversa interessante sobre o boom da publicidade no e-commerce, que evolui além da maximização das vendas para a construção da marca. O preço da entrada neste jogo são dados e tecnologia, mas vamos ver a criatividade fazer cada vez mais impacto? Onde? Como? E o que será necessário para vencer?

The Renegades – Welcome to the Fearless, Post-Covid World of Creativity, já traz no título uma cutucada na tradição das grandes agências, em um papo aberto entre criativos que já conquistaram muito leões na história do Festival (Almir Guy, Per Pedersen, Greg Hah, Karin Birch e Eva Santos), mas que abandonaram as grandes redes para iniciar suas próprias agências ou partir para o outro lado do balcão. Eles compartilharão, no Debussy Theatre,  por que “trabalhar menor” permite que você pense maior.

Também no Debussy Theatre, um momento super importante, que marca o 5º aniversário do #metoo, com Tarana Burke, fundadora movimento. A saber, ela também lançou o Act Too, uma plataforma digital inédita, com objetivo de inspirar e possibilitar ações para acabar com a violência sexual, que recebeu um Leão de Prata em Dados Criativos – Integração de dados em 2021. Mais recentemente, lançou um novo livro, intitulado “Unbound: My Story of Liberation and the Birth of the Me Too Movement”. Nesta sessão, Tarana se juntará a Susan Credle, Global Chair e Global Chief Creative Officer da FCB, para uma conversa sobre os avanços e os desafios que ainda estão por vir.

Em The Future of Creative Work, no palco do The Fórum, a TBWA vai explorar as mudanças sísmicas que afetaram a cultura do trabalho – e, especificamente, o trabalho criativo, nestes últimos anos, revelando as descobertas de um estudo em cinco mercados globais (Austrália, Cingapura, África do Sul, Reino Unido, EUA) e suas implicações para os negócios criativos, passando pelo o que a Geração Z quer do local de trabalho; o que cria “fluxo” para pessoas em carreiras criativas (e como parar de matá-lo), os verdadeiros impulsionadores do esgotamento e muito mais.

Por fim, vale dizer que há uma promessa de um “secret speaker”, as 16h no palco do The Fórum. Já estou curiosa. :)

Monica Gelbecke

Brand Director na TBWA\Chiat\Day de Los Angeles

post anterior
nbsp

A psicologia das cores nos filmes

próximo post
nbsp

Source of Madness: um game de horror lovecraftiano

relacionados