Por que tantos filmes e games são meio azulados e alaranjados?

A paleta agrada aos olhos, mas tem uma questão prática na equalização rápida de um filme inteiro.

Nos últimos 20 anos, diversos filmes e games vem investindo nessa paleta, também conhecida no universo cinematográfico como “a paleta âmbar e azul petróleo”. Já aviso que depois de ler o post você não vai mais deixar de enxergar essa paleta por aí.

Por algum motivo, meio misterioso, a gente gosta muito dessas cores:

O motivo é o contraste harmonioso, porque são cores complementares. Mas não é só por isso que é tão utilizada.

Mas como isso virou tendência?

Anos atrás, as cores projetadas na tela de um cinema, dependiam de como eram captadas e de como o filme físico (rolo do filme) era revelado. Era um trabalho totalmente manual que dependia de técnicos, de química, equipamentos e materiais. Hoje, a maioria dos filmes é gravada digitalmente e ficou muito mais fácil editar as cores de uma cena da maneira que quisermos.

No passado era normal ter filmes extremamente coloridos, mas hoje o padrão é outro e essa mudança é consequencia da facilidade do meio digital, pois, se você editar o filme inteiro em um único esquema de cores, menos trabalho será feito no final para ajustes pontuais.

Filmes antigos costumavam ser mais coloridos, como a Fantástica Fábrica de Chocolate, por exemplo.

Ai que entra a pesquisa e trabalho dos editores, eles precisavam encontrar um denominador comum na maior parte das cenas, sendo que na maioria delas, atores estão presentes, e os humanos combinam com a paleta de cores laranja, pois a maioria dos tons de pele fica entre pêssego claro e marrom escuro, assim todas dentro do segmento laranja, algo que tem mudado com a inclusão de outros tons de pele.

Já o Azul é exatamente o oposto do Laranja, são cores complementares (pares de cores opostas), e quando elas ficam lado a lado, elas produzem um contraste maior do que outras combinações.

Azul e Laranja são opostos

Segundo Todd Miro, a tendência pelo Laranja e Azul é impulsionada pela afinidade humana pelo contraste. Por exemplo, se você deixa os atores mais “calorosos e alaranjados” e ao mesmo tempo em que deixa as sombras e o fundo o mais azul possível, você tem uma tela vibrante e uma paleta complementar interessante.

Dan Seitz, do Cracked, escreveu em uma análise sobre a utilização de cores genéricas, a seguinte sentença:

Não é necessariamente a preguiça em si. Se um colorista tem que editar cerca de duas horas de filme, quadro a quadro, às vezes, no espaço de algumas semanas. Não é necessário muitos olhares para o prazo que se aproxima do calendário, antes de você levantar as mãos e dizer: “Dane-se. Todo mundo gosta de Azul e Laranja!”

não tem erro

Aplicando filtragem de azul e laranja em um filme

Além disso, alguns autores acreditam que essa obsessão pelo Laranja e Azul é mais antiga do que apenas em utilização nos filmes, comparando essas cores como a conceitos opostos como Fogo e Gelo, Terra e Mar, Dia e Noite, etc.

Independente das teorias de como originou essa utilização de contraste, hoje a combinação dessas duas cores se tornou uma “convenção”. Para o colorista Stefan Sonnenfeld, apesar desse contraste ser amplamente utilizado, em muitos filmes a direção opta por escolher outras cores para edição, e não somente o Laranja e Azul. Inclusive Sonnenfeld trabalhou em um dos filmes com maior contraste em azul e laranja nos últimos anos, o Transformers.

Cena de um filme com contrastes em tons azuis e laranjas

Com essa tendência no mundo dos filmes, essa tendência foi passando para outros meios de entretenimento como os games. Hoje não é difícil ver games que utilizam esse contraste em suas fases, capas ou marketing.

Battlefield também utilizando essas combinações de cores

Com o passar do tempo, pode ser que utilizem mais contrastes de cores, mas eu acho que ainda tem um bom tempo para vermos bastante coisas com a combinação de Laranja e Azul.

como o colorista Stefan Sonnenfeld contou O guardião, “Não há um processo específico de tomada de decisão de cores em que sentamos em uma sala e dizemos: ‘Vamos usar cores complementares apenas para tentar mover o público em uma direção específica – e usar apenas essas combinações.' Cada filme tem seu próprio visual.”

Sonnenfeld, ao que parece, trabalhou em alguns projetos visualmente espetaculares. e alguns dos filmes mais laranja e azul dos últimos 15 anos: o Transformadores Series.

uma pessoa em frente a um sinal
um homem sentado em uma mesa
um grupo de pessoas em roupas
um prédio em chamas

Stills do Transformadores filmes, muitos por Todd Miro. Para ser justo, filmes de ação são especialmente adequados para laranja e azul. Afinal, as explosões geralmente são laranja.

Transformadores é assim laranja e cerceta que uma equipe de pesquisadores, construindo um algoritmo para tornar a gradação de cores mais automática, usou-o como um de seus exemplos de gradações de cores. Seu método, que eles publicaram em 2013, ajusta um vídeo de entrada ao estilo visual característico de qualquer filme.

Audrey Tautou, Audrey Tautou et al.  estão posando para uma foto

Ameliecor graduada em laranja e azul como Transformadores (topo), e Transformadores, cor graduada em verde e ouro como Amelie (fundo); Bonneel, Sunkavalli et. al.

O método não é totalmente automático – por um lado, exige que o usuário identifique quais partes do quadro estão em primeiro plano e em segundo plano – mas certamente foi uma melhoria no estado da arte. À medida que a tecnologia de gradação de cores continua a melhorar, podemos ver mais cineastas se ramificando em novas paletas. Até lá, fique de olho em mais laranja e mais azul.

Wagner Brenner

Fundador e editor do Update or Die.

post anterior

Spotify expande iniciativa RADAR para podcasters

próximo post

Stranger Things X Vans

relacionados