The Town — dos mesmos criadores do Rock in Rio — lança seu primeiro movimento de comunicação

Assim como acontece no festival carioca, The Town já inicia conversas com o público, gerando conexão com a capital paulista e com o Brasil, transportando as pessoas para um lugar totalmente mágico e fantástico: a nova Cidade da Música
nbsp

Faltando pouco mais de um ano para a abertura dos portões, o novo festival de música, cultura, arte e entretenimento de São Paulo, que é dos mesmos criadores do Rock in Rio, começou seu grande movimento de comunicação, com o primeiro conteúdo chamado “Magia”. Assim como no Rock in Rio, a organização trabalha para quebrar paradigmas e comunicar a magia e o fantástico, com objetivo de transportar o público para o universo incrível que ele irá conhecer e experiências inesquecíveis que vivenciará em The Town. 

“Assim como fazemos com o Rock in Rio, começamos nosso grande movimento de comunicação faltando pouco mais de um ano para a abertura dos portões. Nosso objetivo primário com essa comunicação é passar toda a grandiosidade da experiência que vamos ter em The Town, retratando que vai ser mágico. A proposta criativa de trabalhar a estética da esfera — representação gráfica da logomarca de The Town — é transportar, quem a toca, para a Cidade da Música, ou seja, para esse novo universo mágico e paralelo, que está em sinergia com a história que estamos contando”, conta Ana Deccache, diretora de Marketing do Rock in Rio e The Town. A comunicação foi criada pelas agências A-Lab e Artplan, ambas empresas do Grupo Dreamers.

Este grande movimento de comunicação se soma às intervenções presenciais realizadas em São Paulo no último mês, onde foram captados os conteúdos que deram origem a esse novo conteúdo. Nas ocasiões, The Town aportou em locais emblemáticos de São Paulo para suas primeiras intervenções na cidade, colocando o público frente a frente com fragmentos do que poderá ser vivido dentro do novo evento, iniciando assim um movimento de conversas com os fãs e gerando conexão com a metrópole. A partir de agora, com seu grande movimento de comunicação, The Town além de ocupar a cidade, começa a apresentar seus palcos: São Paulo Square, Factory e The One. Na gravação das duas intervenções, que deram origem a esta primeira comunicação, de um lado todo o encantamento do jazz com a personalidade de um vozeirão bem paulista, Jeniffer Nascimento e uma Big Band com 16 músicos, para representar a São Paulo Square. O espaço está prometido como o local com o maior número de selfies da Cidade da Música e foi inspirado na região em que a Cidade foi fundada, reunindo alguns dos seus principais ícones históricos, como a Catedral da Sé e a Estação da Luz, embalados ao ritmo de muito jazz e blues. 

Do outro, ao melhor estilo industrial, performances de rap, trap e hip-hop, sob o timbre de Criolo e a ginga de um grupo de bailarinos, representam os palcos Factory e The One. Inspirado nos antigos galpões das fábricas que ajudaram a elevar o nome de São Paulo, o Factory trará o mood da cultura urbana e terá performances de street dance e shows de trap, hip hop e rap — que estão entre os gêneros mais consumidos da Cidade, além de muitas intervenções artísticas que tomarão conta de toda a cenografia do local. Já o palco The One tem como inspiração a arte urbana de São Paulo, com o grafite como um dos principais representantes. Tudo isso, embalado pelas trilhas já lançadas do festival. A cenografia e a arquitetura dos palcos levarão o público a sentir como se estivessem nos locais mais bonitos da cidade de São Paulo.

“Finalmente teremos um festival do time do Rock in Rio para chamar de nosso aqui em São Paulo e estou muito feliz por fazer parte disso. São Paulo é uma conexão de tribos e o festival vai trazer isso pra gente”, comemora Jeniffer Nascimento. “A música tenta descrever um pouco da cidade de São Paulo, algumas das camadas de tantas camadas que essa cidade tem. O que é essa pluralidade, o que é essa ancestralidade, o que é o tanto de cada canto da cidade que se reúne neste território e um tanto do Brasil que se reúne também nesse território”, conta Criolo, autor do trap “Bem-vindo a São Paulo, The Town acontece”, uma das músicas tema do festival. 

A campanha tomará conta de São Paulo e de todo país e o filme, produzido pela Madre Mia Filmes e dirigido por Kiko Lomba, será veiculado em tv aberta e fechada e cinema, tendo sido lançado no intervalo do Fantástico, no último domingo. A campanha conta, ainda, com comunicações em  jornais, OOH, internet, rádio e um grande enxoval de mídias digitais. 

Ocupando, pela primeira vez, uma área de 350 mil m² do Autódromo de Interlagos, a chamada Cidade da Música contará com sete grandes espaços, com cinco palcos e promoverá um verdadeiro encontro e celebração das mais variadas tribos e movimentos culturais. The Town acontece durante os dias 2, 3, 8, 9 e 10 de setembro de 2023, e já nasce com números impressionantes. A expectativa é que o festival movimente já em sua primeira edição R$ 1,7 bilhão no Estado de São Paulo e gere mais de 20 mil empregos, auxiliando positiva e diretamente na retomada de diversos setores pós pandemia. A organização garante total conforto e segurança para os cerca de 600 mil visitantes que passarão por lá, durante o período do festival. 

Roberta Medina, vice-presidente executiva do Rock in Rio e The Town, também compartilha suas percepções: “The Town é muito mais do que um festival, The Town é uma homenagem para São Paulo e será uma grande plataforma de promoção da cidade mundo afora, com toda a riqueza e pluralidade da sua cultura, da sua gente”.

Um Making Of também foi divulgado:

Gustavo Giglio

Sócio do UoD (novos negócios/projetos especiais).
Baixista do Kisser Clan e co-fundador do Coffee Hunter.

post anterior
nbsp

GloboNews estreia nova identidade visual

próximo post
nbsp

Cabana Burger amplia cardápio com itens inspirados nas playlists mais populares do Spotify

relacionados