Coldplay e plateia são protagonistas de uma noite histórica no Rock in Rio

“Só houve um momento como o de hoje, o de Freddie Mercury em 1985. Foi incrível, foi memorável”. Assim Roberto Medina, presidente do Rock in Rio, definiu o show do headliner Coldplay.
nbsp
#image_title

“Só houve um momento como o de hoje, o de Freddie Mercury em 1985. Foi incrível, foi memorável”.

Assim Roberto Medina, presidente do Rock in Rio, definiu o show do headliner Coldplay.

Os fãs do festival viveram uma noite histórica hoje na Cidade do Rock e nem mesmo a chuva foi capaz de apagar a magia que ocupou cada canto dos seus de 385 mil m2. A banda britânica comandou uma grande festa, com um supershow não só em cima do Palco Mundo, mas que se estendeu por toda a plateia. Com as tradicionais e emblemáticas pulseiras luminosas que piscavam e mudavam de cor em sincronia com as músicas, além de chuvas de papel picado em diferentes canções, a banda britânica promoveu um verdadeiro espetáculo que emocionou quem acompanhava do gramado e de casa. No setlist, Coldplay tocou todos os seus maiores hits, como “Viva la Vida”, “Paradise” e “Yellow”, que eram acompanhados do início ao fim pelo público.

As pulseiras luminosas

nbsp
#image_title

No Palco Mundo, o primeiro a se apresentar Djavan, um dos ícones da MPB, seguido dos britânicos do Bastille e do fenômeno cubano, Camila Cabello. O Sunset abriu os trabalhos com a banda Bala de Desejo e convidados. Em seguida, foi a vez do trio Gilsons embalarem o público que passou a tarde na Cidade do Rock. A terceira atração foi a voz poderosa de Maria Rita e, fechando a noite no palco, CeeLo Green com participação do fenômeno brasileiro Luisa Sonza, fez um tributo ao Padrinho do Soul, o mestre James Brown.

Muito além da programação do Palco Mundo e do Sunset, quem vem ao Rock in Rio encontra um universo inteiro de música com diversas atrações, dos mais variados gêneros, que se apresentam em palcos como o Espaço Favela, o Supernova e o New Dance Order. Na área reservada aos talentos das comunidades, artistas consagrados e expoentes que nasceram nas favelas e nos subúrbios do Rio de Janeiro mostram todo seu talento. Hoje, entre os nomes presentes esteve o embaixador do palco, o cantor Ferrugem, que faz sua estreia no maior festival de música e entretenimento do mundo.

O Supernova surgiu na Cidade do Rock pela primeira vez em 2019 e mostrou que veio para ficar — trazendo artistas que estão dando os primeiros passos na música ou decidiram experimentar novos caminhos. Neste sábado, 10, os meninos do Jovem Dionísio, que explodiram nas redes sociais este ano com o hit “Acorda, Pedrinho”, cantaram seus sucessos por lá. O palco dedicado ao melhor da música eletrônica, o New Dance Order, tem colocado o público para dançar com DJs renomados e se consolida como atração para quem deseja curtir até o último segundo do festival. Já na Rock District, a grande atração foi a All Stars Rock Band, grupo inédito formado por veteranos do rock nacional especialmente para o Rock in Rio.

Djavan abre o Palco Mundo que tem noite histórica com headliner Coldplay 

Abrindo o Palco Mundo na noite deste dia 10, Djavan fez uma estreia emblemática no Rock in Rio. Com um setlist feito exclusivamente para o festival, o cantor fez questão de colocar canções já bastante famosas, como “Sina”, “Samurai” e “Devorar” conquistando toda a plateia logo na primeira música. Segunda atração a subir no Palco Mundo, os britânicos do Bastille empolgaram o público ao cantar seus maiores sucessos “Happier”, “Of The Night” e “Pompeii”. O simpático vocalista da banda, Dan Smith, ganhou o público ao arranhar um português quando foi conversar e interagir com os fãs. 

A cubana Camila Cabello fez sua estreia na Cidade do Rock em grande estilo e encantou o público com canções que misturam pop e música latina, além de influências de hip hop e reggaton. A artista abriu a apresentação com um de seus maiores sucessos, “Senhorita”. Em outro momento marcante do show, ela recebeu L7nnon, MC Bianca e Biel do Furduncinho para cantar o hit “Ai, preto”. Cabello também colocou todo mundo para dançar com “Havana” e “Never be the same”.

Encerrando uma noite histórica no Rock in Rio, Coldplay, a atração mais aguardada do dia, coloriu e iluminou, em sincronia com o som, toda a Cidade do Rock com suas tradicionais pulseiras luminosas. Como um verdadeiro maestro, o vocalista Chris Martin ditou o ritmo do supershow e comandou a enorme plateia que aguardava ansiosamente os britânicos desde cedo. Do início ao fim da apresentação, a banda demonstrou muita simpatia, carisma e energia, com Chris arriscando algumas frases em português. O público vibrava a cada canção e fazia coro em todas as músicas, com destaque para “Viva la Vida”, “Paradise”, “Yellow”, “Clocks” e “Fix You”. As projeções no palco, o show de pirotecnia e a chuva de papel coroaram a performance de Coldplay na edição do reencontro como uma das maiores apresentações da história do Rock in Rio.

Rock District reuniu veteranos do rock nacional 

No Rock District, o ator e cantor Thiago Fragoso agitou o público ao subir no palco. Em seguida, foi a vez da All Stars Rock Band, grupo inédito formado especialmente para o Rock in Rio, composto pelo vocalista Dinho Ouro Preto, o guitarrista Andreas Kisser (Sepultura), o baterista João Barone (Paralamas do Sucesso), o baixista PJ (Jota Quest) e o guitarrista Liminha.  

Para Dinho, que abriu o Palco Mundo com o Capital Inicial no sábado (9), se apresentar no Rock District teve um gosto diferente, mas muito especial. “Eu gosto de tocar em lugares pequenos. É uma experiência literalmente oposta, mas igualmente intensa pelo fato de você conseguir estender a mão e tocar nas pessoas, olhar nos olhos, é mais individual. E isso acaba criando um elo com o público. Em um show grande como o de ontem, você acaba se dirigindo a uma multidão. Aqui, você se dirige ao indivíduo. Eu gosto das duas experiências”.  

Veterano no festival, Dinho já tocou no palco do Rock District homenageando o punk rock em 2019. Para esta apresentação, que contou com clássicos como “Come Together”, dos Beatles, “(I Can’t Get No) Satisfaction”, de The Rolling Stones, e “Whole Lotta Love”, do Led Zeppelin, o tema escolhido reflete a cultura de uma década.  ”A nossa escolha foi anos 1960, o que abre as portas para que, nas próximas edições, passe para a década seguinte. Ou podemos fazer anos 1960 parte II, já que muita coisa boa ficou de fora”, conta.

New Dance Order reúne grandes nomes do cenário eletrônico  

As atrações do palco New Dance Order se iniciaram pontualmente às 16h, com Alexiz BcX e seu setlist repleto de brasilidades que eletrizou o público. A apresentação atraiu os fãs logo no primeiro horário, preenchendo mais da metade da pista. Em seguida, foi a vez do Back-to-Back entre Bruno Be e a dupla Fancy Inc, colocar toda a pista pular ao som do remix de hits atemporais como “Enjoy the Silence”, de Depeche Mode, “Losing my Religion”, de R.E.M, “SexyBack”, de Justin Timberlake, e “It’s Not Right but It’s Okay”, de Whitney Houston. Além disso, os DJs tocaram também sua collab “Say my Name”, referenciada como a “Evidências” da cena eletrônica. Os três se impressionaram com a energia que trocaram com o público. “É muito mais legal e mais interessante quando você espera uma coisa e recebe muito mais”, comentou Adriano Dub.

Tocando pela quarta vez no Rock in Rio, os irmãos do Chemical Surf comandaram o início da noite, com um setlist que refletiu seu propósito de “RIP Genre”, ou seja, que não se prendem a nenhum rótulo, se permitindo transitar entre todos os estilos musicais e misturar suas influências. Um dos momentos que mais levantou o público foi quando a dupla tocou o remix oficial de “Verdinha”, lançado em parceria com a cantora Ludmilla, que se apresentará como headliner do Palco Sunset neste domingo. Para Hugo Sanches, integrante do duo, “é muito perigoso perder o frio na barriga. É nossa quarta vez tocando no Rock in Rio, e sempre parece que é a primeira”, diz.  

O DJ Gabriel Boni emocionou o público ao pedir sua namorada Amanda Felícia em casamento. Durante o show, o DJ convidou Amanda para subir ao palco, ajoelhou e fez o pedido. Extremamente emocionado, a mais recente noiva do mundo da música eletrônica mal conseguia conter a emoção: “eu jamais poderia imaginar, ainda mais em um evento grande como o Rock in Rio, que você precisa estar superconcentrado”, disse ela, ainda sem conseguir acreditar direito.

Gabriel contou que mesmo com o hábito de realizar exercícios e técnicas de concentração, foi difícil segurar o nervosismo: eu penso em fazer esse pedido desde o dia que eu a conheci. Queria que fosse algo grandioso. Faço exercícios e técnicas de concentração para manter o foco durante os shows. Hoje estava nervoso como nunca. A boca está seca. Vou precisar beber litros de água, mas muito feliz que deu tudo certo.

Palco Sunset vai da MPB ao samba 

Bala Desejo foi a primeira banda a subir hoje no Palco Sunset. Formada por um poderoso quarteto de expoentes da música, Lucas Nunes, Zé Ibarra, Dora Morelembaum e Júlia Mestre, a banda conquistou o público que acompanhou a apresentação com seu estilo único e tropical. 

Em seguida, o trio do Gilsons convidou Jorge Aragão para um show emocionante. Em um clima descontraído, Fran, João e José, netos e filho de Gilberto Gil, envolveram a plateia em um show com um repertório formado por muito samba e músicas do álbum de estreia do trio, “Pra gente acordar”, lançado em 2022. O público também vibrou muito quando Jorge Aragão se juntou aos Gilsons e, juntos, cantaram “Eu e você sempre”, “Vou Festejar” e “Se eu quiser falar com Deus”, música de Gilberto Gil. 

Logo depois foi a vez de Maria Rita, acompanhada de sua superbanda, trazer o samba para o Sunset. À vontade em cima do palco, a cantora fez o show inteiro de pés descalços e ficou encantada com os fãs efervescentes que a acompanharam durante toda a apresentação. Hits como “Cara Valente”, “O Bêbado e a Equilibrista” e “É”, de Gonzaguinha, estavam presentes no repertório de Maria Rita. No fim da apresentação, que fez aniversário ontem, se emocionou quando a plateia contou parabéns.

O headliner da noite foi CeeLo Green. Com um figurino cheio de brilho e muita dança, ele fez um tributo ao mestre James Brown com direito a participação especial de Luísa Sonza em “It’s a Man’s Man’s Man’s World”. Além dos sucessos de Brown como “Get Up (I Feel Like Being a) Sex Machine” e “I feel good, o artista apresentou músicas de seu repertório como “Crazy”, do Gnarls Barkley, e “Fuck You”.  

Gameplay arena tem final da Tribo Cup 

Na Gameplay Arena, a disputa do showmatch da Tribo Cup, torneio oficial do maior streamer de games do Brasil, Gaules. O time Meta Gaming se consagrou campeão de forma avassaladora pelo placar de 3 mapas 0 contra o Hype E-sports.

DIA DELAS: Público de despede desta edição com programação que exalta do feminino. Fafá de Belém se apresenta na arena da NAVE 

Amanhã o público começa a se despedir da Cidade do Rock, mas o dia ainda promete muita música e diversão em uma programação inteiro dedicado a elas. No Palco Mundo, o furacão Ivete Sangalo abre a noite às 18h. Em seguida, às 20h10, Rita Ora, uma das artistas mais tocadas do século 21 no Reino Unido, faz sua estreia no festival. O rap feminino estará muito bem representado pela norte-americana Megan The Stallion, que sobe ao palco às 22h20. Já Dua Lipa, que também se apresenta pela primeira vez no Rock in Rio, será a última headliner desta edição.

No Sunset, a programação começa às 15h30 com o encontro entre Liniker e Luedji Luna. Em seguida, às 16h55, uma homenagem à Elza Soares com participações de Majur, Agnes Nunes, Caio Prado, Mart’nália, Gaby Amaratos e Larissa Luz. A terceira atração do Sunset é uma das maiores vozes do soul na atualidade. A co-headliner Macy Gray sobe ao palco às 19h05. Quem fecha a noite, às 21h15, é a rainha da favela, Ludmilla.

A GamePlay Arena também contará com uma programação formada apenas por elas. A primeira atração será às 14h30 com um painel do Senac Rio e do MIBR, falando sobre a carreira das mulheres no universo gamer. Logo depois, às 15h15, o VALORANT GameChangers — torneio oficial da Riot Games para o cenário feminino — ocupa os palcos com o VALORANT GameChangers Showdown — Rock in Rio Edition, um confronto entre as equipes femininas de MIBR e Gamelanders Purple, com narração e apresentação da equipe de mulheres do torneio na Riot Games: Barbara “Bah” Gutierrez, Flavia “Naoshii” Carvalho e Camila “Chun” Curci. As partidas também serão transmitidas em canais das principais streamers e influenciadoras da comunidade de VALORANT no Brasil. Às 19h15, as meninas que vão compor a equipe do Just Dance no palco da arena, comandarão e desafiarão o público para acompanharem as coreografias mais divertidas e dançantes do game. O encerramento fica por conta da DJ Bruna Strait, que já foi eleita uma das 20 melhores DJanes da América Latina pela revista norte-americana DjaneTop.

Na NAVE, o destaque fica por conta da apresentação de Fafá de Belém, que representa a Região Amazônica às 16h30 horas.

Tatianne Alba Freire

criadora de conteúdo focado em cultura pop como séries de TV, cinema e anime. Acompanho o calendário Geek e adoro compartilhar, mas só o que vale a pena de verdade.

post anterior
nbsp

Por trás do design do Nike Cosmic Unity 2

próximo post
nbsp

Felicidade: motor de qualquer inovação

relacionados