Nowdays convida sociedade a refletir sobre leis e desinformação em relação à Cannabis

nbsp


Intitulada “Leis Questionáveis” (Questionable Laws) a Nowdays, marca de lifestyle, lança campanha produzida pela MyMama Entertainment, com criação do diretor Pedro Giomi em conjunto com AKQA. O objetivo é desmistificar e convidar a sociedade a refletir e debater sobre as leis e os preconceitos relacionados ao consumo da cannabis, seja medicinal ou recreativo.

O intuito é apresentar uma nova perspectiva sobre os diferentes usos da cannabis e combater a desinformação sobre o tema, propondo reflexões para que o público brasileiro forme sua opinião sobre o assunto com informações de credibilidade, principalmente agora, com o aquecimento dos debates em torno das Eleições 2022 no Brasil.

Criada há cerca de um ano, a empresa fomenta debates sobre a cannabis e as diferentes formas de seu consumo pelas pessoas. “Nossa plataforma aborda de forma holística os temas relacionados à planta, pois, historicamente, a maconha sempre foi estereotipada, criminalizada e perseguida. Por isso estamos lançando este filme. Precisamos dar fim à desinformação”, afirma Thainá Zanholo – brasileira radicada na Califórnia e criadora da marca. Para ela, é necessário que seja estimulado um maior esclarecimento para dar fim a estereótipos em relação ao potencial medicinal e terapêutico da cannabis, passando pelos benefícios econômicos, o mercado wellness e, sobretudo, os impactos da legislação e da política de proibicionismo na sociedade brasileira.

Enquanto no Brasil a Nowdays atua como uma plataforma de informações sobre o tema, na Califórnia, onde Thainá reside há sete anos, a empresa já desenvolve e comercializa produtos para o mercado wellness, explorando principalmente os benefícios do canabidiol. Os benefícios da substância extrapolam as aplicações médicas, com pesquisas apontando melhorias que vão desde a qualidade do sono, até a produtividade no trabalho.

Na Califórnia, a arrecadação de impostos com a indústria da cannabis ultrapassou U$1 bilhão em 2020, recursos que podem ser aplicados na infraestrutura de saúde. Segundo estudo da empresa de inteligência para o mercado de cannabis, Kaya Mind, o Brasil poderia arrecadar R$8 bilhões em impostos nos quatro primeiros anos de legalização no país.

O grande potencial econômico da indústria atraiu o interesse do PGP Capital, banco de Los Angeles que desenvolveu um núcleo exclusivo para o mercado canábico e que se tornou o primeiro investidor da Nowdays, já de olho no mercado brasileiro. A empresa já solicitou à Anvisa a certificação para comercialização de gummies e óleos de CBD para o mercado brasileiro, mas a liberação dos produtos derivados da cannabis ainda esbarram na burocracia imposta à indústria, em uma legislação restritiva e no desconhecimento do público brasileiro sobre os benefícios sociais da planta.

“Historicamente, há um estereótipo em relação à maconha. Porém, nos últimos anos, parte da sociedade se rendeu aos seus benefícios e temas como legalização e descriminalização estão cada vez mais em alta. Apesar dos avanços, ainda existem diversas leis que proíbem marcas de falarem sobre maconha e muitas vezes o discurso é condenado como apologia”, completa Thainá, que tem empreendido grandes esforços para romper as barreiras da desinformação. E o filme “Leis Questionáveis” é mais um de seus passos nesse caminho.

Gustavo Giglio

Sócio do UoD (novos negócios/projetos especiais).
Baixista do Kisser Clan e co-fundador do Coffee Hunter.

post anterior
nbsp

Africa e Vale lançam campanha com uma das maiores descobertas científicas feita pela mineradora

relacionados