BBC StoryWorks: como as pessoas estão se locomovendo ao redor do mundo

No Brasil, Rio de Janeiro e São Paulo tiveram situações destacadas
nbsp

TikTok

O projeto The Way We Move: Transporting Stories pesquisou e registrou em minidocumentários as formas e meios de locomoção utilizados em 20 cidades mundo afora. No Brasil, São Paulo e Rio de Janeiro tiveram projetos destacados. A produção é da BBC StoryWorks Commercial Productions, e apresentação está a cargo da UITP (Associação Internacional do Transporte Público). 
 

nbsp
biker e entregador por aplicativo, Anderson Henrique Santos

Um dos filmes conta a história do biker e entregador por aplicativo, Anderson Henrique Santos, 28 anos, que circula pelas movimentadas ruas de São Paulo há quase cinco anos. O local escolhido para as gravações foi o ponto de apoio para entregadores por aplicativo, instalado na área externa da Estação Eucaliptos, da linha 5-Lilás de metrô, com espaço para descanso, tomadas para recarga de bateria de celulares, banheiros, além de uma copa equipada com micro-ondas, filtro de água e local para refeição.

O espaço fica aberto nos 365 dias do ano, das 10h às 22h, e já vem beneficiando cerca de 150 entregadores por dia. O acesso é gratuito.

“Cada vez mais estamos atentos às transformações da sociedade para entendermos as necessidades e oferecermos o melhor serviço para nossos clientes e todos que utilizam nossos sistemas. E, poder dar visibilidade internacional a essas ações é muito gratificante”, comentou Marcio Hannas, Presidente da CCR Mobilidade.

De acordo com Tonico Pereira, Diretor de Comunicação do Grupo CCR, o conteúdo da BBC StoryWorks demonstra o compromisso da CCR com a mobilidade humana. “A força e a resiliência dos entregadores foram marcantes durante a pandemia e continuará sendo essencial para sempre: eles não pararam quando o mundo parou. A eles, o nosso respeito e o nosso reconhecimento”, afirmou.

O minidocumentário

A história de Anderson gira em torno das dificuldades da profissão de entregador por aplicativo, atividade que cresceu consideravelmente durante a pandemia de Covid-19. Em meio ao caos do dia a dia, ele ressalta a importância de contar com um ponto de apoio que o ajuda a recarregar as energias para poder enfrentar com mais dedicação as jornadas extensas de trabalho.

“Agora eu não preciso mais voltar para casa no decorrer do dia. Aqui eu posso esquentar minha marmita e usar o banheiro. Eu posso sair de casa às 6h da manhã e, se o meu celular descarregar às 10h, eu sei que posso carregar neste ponto de apoio. Para mim, o local trouxe mais acessibilidade”, diz.

Para assistir ao filme, acessar: Link

Marcelo Trindade

Jornalista e piloto amador de drone nas horas vagas (as que não estou procurando onde caiu o drone). Curioso por natureza, mesmo sabendo que mata.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

post anterior
nbsp

Bafocalipse, a ativação de Listerine no Metaverso

próximo post
nbsp

5 tabuleiros baseados em mecânicas de jogos clássicos

relacionados