Converse com estranhos

Nos dias de hoje, network virou uma palavra cheia de significados.
nbsp

TikTok

Nos dias de hoje, network virou uma palavra cheia de significados. A começar por entender que conhecer pessoas é importante mas não é necessariamente uma obrigação. Porém, se você tem uma boa rede de amigos, ela pode em algum momento te ajudar em alguma ocasião, seja boa ou ruim.

Escrevo isso porque hoje trabalho na área comercial e me conecto com muita gente todo dia e acho muito maneiro como as pessoas são diferentes. É engraçado a reflexão que faço após uma primeira reunião sobre a pessoa que conversei. Algumas você tem certeza que seria amigo dela porque é muito gente fina, outras você vê que não seria amiga mas é boa de se trabalhar, outras que não fazem muita questão de falar com você, outras que adoraram falar com você e por fim algumas que nem queriam falar com você. Claro, que varias dessas interpretações se cruzam naturalmente no dia a dia.

O problema do network é que muita vezes você tem que fazer porque precisa e talvez a outra pessoa não, aí que vem o plot twist. Talvez a pessoa que você quis se conectar, hoje, não precise falar com você ou não seja interessante ao olhos dela. Porém, o mundo por não ser plano, gira e bem rápido. Acontece de pessoas saírem de uma cadeira de liderança, intocável, onde dita as regras do jogo e um belo dia é mandado embora. Esquece que um dia deixou de falar com pessoas e estranhos, naturalmente engolido pelo nosso corrido dia. Quando avalia sua rede para voltar ao mercado, seus amigos sumiram, sua equipe talvez não te ame tanto e quando menos espera, aquela pessoa que um dia você conversou por 15 minutos está disposta a te arrumar um novo emprego. Bizarro como o mundo dá voltas, né?

Nunca vou me esquecer do Luiz Leime, ele respondeu minha mensagem no linkedin há alguns anos atrás sobre uma oportunidade que gostaria de ter na agência na qual hoje ele é Presidente. Não tinha vaga aberta, só queria conversar com ele e ver se ele gostava de mim. Fui tomar um café com ele e ficamos 1h30 conversando. Não tinha vaga e meu escopo de trabalho na época era diferente do que ele contratava lá. Eu nunca esqueci daquela conversa, principalmente porque ele enxergou em mim o Luiz que fazia a mesma coisa no inicio quando batia na porta de agências querendo conversar e novas oportunidades. Depois daquele dia, tirei um dos maiores aprendizados do mundo corporativo, nunca deixar ninguém sem resposta e conversar com o máximo de pessoas que puder. Porque um dia ensinaram a ele isso. Converse com estranhos, seja gentil. Juro que você não vai se arrepender.

Lucas Basso

Publicitário. Esporte. Tentando unir ideias a propósitos.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

post anterior
nbsp

O último show de Elton John nos Estados Unidos. Veja como foi

próximo post
nbsp

A genialidade eterna de George Lois

relacionados