Grafite Virtual?

As tecnologias AR fornecem aos artistas um novo conjunto de ferramentas.

Imagine um mundo cheio de grafites invisíveis. Abra um aplicativo, aponte seu telefone para uma parede que se tornará uma tela. Um sistema de realidade aumentada armazenará permanentemente sua localização. Seu amigos poderão encontrar sua pintura em um mapa e vir vê-la. Este é o Mark AR um dos primeiros projetos criados com Persistent Cloud Anchors do Google. O aplicativo estreou na semana passada na Comic-Con de Nova York. A recente API Cloud Anchors da Google, permite que vários dispositivos explorem a nuvem para compartilhar informações sobre objetos em uma cena do mundo real, pode hospedar e resolver âncoras de maneira mais eficiente, graças à geração aprimorada e processamento visual da âncora na nuvem.

Antes do lançamento oficial em cidades reais, seus criadores demonstram a tecnologia em mais exposições pop-up. Eles querem garantir que as pessoas que usam o aplicativo estejam usando a aplicação com segurança e como determinar o melhor método para expandir seus negócios para seu lançamento. O que acontece depois de baixar o aplicativo? Os usuários efetuam login com nomes reais, provavelmente por meio do Facebook Connect. Assim, quando criam arte, o local pode ser compartilhado com segurança entre amigos, familiares e seguidores. Graças à plataforma ARCore do Google, todos os dados de GPS e de visão computacional são armazenados e usados ​​como pontos de ancoragem; portanto, quando a arte é compartilhada, uma miniatura aparecerá em um mapa para que outras pessoas possam encontrar e visitar.@the_toshio @ssshhhnnn 2019 Anhembi SP @boomrealart

Se você colocar uma obra de arte virtual no mundo real para que todos vejam — digamos, uma bela escultura em um parque — você não gostaria que ela desaparecesse da noite para o dia. É por isso que o Google atualizou sua plataforma de realidade aumentada ARCore com o que chama de “botão salvar” para armazenar os locais de suas criações. Assim, da próxima vez que alguém pensar em sacar o telefone no mesmo parque, poderá ver as coisas maravilhosas que você deixou para trás.

Tecnicamente, o recurso não é uma idéia nova. Por exemplo, o próximo jogo Minecraft Earth da Microsoft usa as âncoras espaciais do Azure.

Por enquanto, serão aplicativos individuais como este MarkAR, onde as pessoas deixam grafites virtuais para que outras pessoas descubram — mas apenas aqueles que usam o MarkAR também:

Koo Jeong A, densidade , 2019, da série Pré-requisitos 7 — Regent’s Park, em Londres

O Google também diz que ainda não decidiu por quanto tempo as âncoras “persistentes” permanecerão; apenas que ele não excluirá aqueles que estão em uso ativo e que espera trabalhar com os desenvolvedores para descobrir isso e não é difícil imaginar o Google querendo se tornar o portal através do qual você descobre o mundo por trás do mundo: camadas e mais camadas de conteúdo virtual gerado pelo usuário que um dia poderá existir. Para o Google, este é um pequeno passo mais perto disso.

O Google também diz que está tornando as âncoras da nuvem um pouco mais fáceis de usar hoje e traz a API do Augmented Faces para o iOS .

Default image
Thiago Toshio Ogusko
Entusiasta e produtor XR, louco por tecnologia e arte, fundador da GoVision/VRevolution e Coordenador do (Núcleo de Inovação em Práticas Educacionais) Kroton
Leave a Reply

Ad Blocker Detected!

Refresh