Masterclass, aprendendo a andar na terra dos gigantes

Já faz alguns anos que me dedico a olhar cada um dos vídeos que a plataforma oferece. Masterclass adiciona o que preciso para o meu dia a dia, quando falo de trabalho e curiosidades sobre a vida, o valer ou não tem relevância apenas para você e o como você   consegue absorver e aprender. Não é sobre gerar uma nova skill do zero, é sobre desenvolver interesse e aprender com os gigantes.

Mais novo professor da plataforma

Nosso updater-fundador, Wagner, já abordou um pouco sobre a plataforma e o modo de oferta aqui no UoD, aqui vai meus dois centavos sobre.

PRIMEIRO PASSO

O MasterClass é uma plataforma de e-learning na qual pessoas famosas apresentam uma série de palestras em vídeo sobre seus métodos de trabalho. Cada aula é centrada em um tópico amplo (por exemplo, “David Lynch ensina criatividade e cinema” ou “Annie Leibovitz ensina fotografia”) e é dividida em uma dúzia a mais de 20 lições. Cada vídeo aula dura cerca de 10 minutos.

Existe um nível impressionante de talento dentro dessas paredes de hera virtuais. No momento desta publicação, a lista da MasterClass contém mais de 70 das pessoas com maior desempenho em seus respectivos setores. É verdade que grande parte são americanos e têm mais probabilidade de serem o arquétipo visual ou cultural que “dá certo”, mas o corpo docente está crescendo constantemente e você certamente não pode acusar os produtores de não mirarem alto o suficiente.

O que me leva a crer que a plataforma só tem a tendência de crescer quando cogitar a adicionar talentos de várias áreas com descendências Árabes, Indianos, Africanos, Asiáticos e Latinos. Então tenha isto em mente quando for ver um, se por um lado a plataforma é interessante, por outro, eles ainda crescem em passos pequenos para refletir melhor a evolução de tudo ao nosso redor. O foco nasceu com o “Sonho Americano”, e ainda vai se expandir para um sonho global maior.

SEGUNDO PASSO

MasterClass não é sobre a construção de habilidades práticas. É sobre inspiração. Trata-se de entrar em um caminho com o maior mestre possível – digamos, Martin Scorsese – parado do outro lado, dizendo: “Eis como cheguei de onde você está até onde eu estou”.

É claro que existem muitas aulas de educação on-line destinadas a habilidades práticas. O Lynda.com é um exemplo perfeito, com milhares de aulas dedicadas ao ensino de habilidades de desenvolvimento profissional, como programação ou Microsoft Excel. Essas aulas tendem a ser bastante monótonas porque, lamentavelmente, não há “planilhas de Excel de Acordo com Anna Wintour“.

E não é só vídeo, cada lição é acompanhada de uma planilha para download contendo marcadores recapitulando o que foi abordado no vídeo, além de alguns exercícios em casa. No entanto, eles variam amplamente em profundidade e utilidade.

Você também encontrará uma comunidade on-line incipiente de colegas de classe, mas pouca ou nenhuma interação com os próprios instrutores. Como você não está em uma “classe” fixa de alunos, você pode seguir o seu próprio ritmo nas lições.

Assim como existem diversos TEDs e TEDx*, que – claro, além da mistura de praticalidade e inspiracional – eu particularmente acho que, entregar vídeos de modo aberto e sem contexto, não entregam o resultado que deveriam, existe esse nicho de aprender com que é reconhecido. A validade de como é feito durante o processo vai depender de como você gosta de aprender e consegue absorver.

*Para quem gosta dos TED e TEDx – que tem sim muito mérito – faça esse exercício: Qual o % de conteúdo consumido VS o utilizado por você no dia dia? Combina agora sua resposta com a de outros, em qual % você está em real uso? A grande diferença entre os vídeos do TED e Masterclass, além do tempo, é que, ao longo das lições, e à medida que o conteúdo segue mais profundo e mais específico, o domínio sobre o assunto se torna mais evidente vindo de quem eu estou assistindo. A credibilidade e a confiabilidade ajuda nosso cérebro a manter maior parte do conteúdo. E mesmo quando o professor é o mesmo de outros vídeos, o modo de entrega de conteúdo causa impacto. É uma escolha de assistir algo pensado para muitos, ou ter uma experiência de 1×1. Veja exemplos:

TED
Masterclass

Qual dos dois prefere? É uma boa maneira de pesar sua decisão de compra.

O MasterClass conta com o poder das faces reconhecidas para atrair, o currículo tende a vocações mais chamativas: cinema, escrita, atuação, culinária, fotografia e afins. Isso não impede necessariamente as pessoas que trabalham fora da área não possam assistir Diane von Furstenberg e Hans Zimmer falando sobre o processo criativo. Afinal, todos somos chamados a resolver problemas criativos em nossas vidas.

TERCEIRO PASSO

Cada MasterClass segue a mesma fórmula. Banhado em luz suave, o instrutor realiza de 15 a 30 breves vídeos aulas. Se o instrutor faz algo inerentemente visual para a vida, como culinária ou esportes, essas lições incluem demonstrações. Os escritores apenas conversam. Cada lição vem com uma pasta de trabalho em PDF contendo um resumo e links para outras leituras. Os alunos podem gravar perguntas para os instrutores, que postam respostas em vídeo periodicamente durante o “horário comercial”. A fórmula se estende até os títulos dos cursos: Pessoa ensina habilidade. “Deadmau5 Ensina Produção de Música Eletrônica”. “Frank Gehry Ensina Design e Arquitetura”. “James Suckling ensina apreciação do vinho”. “Ensina”.

“Discute” pode ser mais preciso. Hans Zimmer fala sobre o scoring de O Cavaleiro das Trevas e Sherlock Holmes, mas isso não é o mesmo que ensinar scores de filmes. A análise de Malcolm Gladwell de por que suas histórias funcionam pode ser instrutiva, mas não é o que você pensa como um curso de escrita. “Certifique-se de colocar a raquete embaixo da bola“, diz Serena Williams em uma MasterClass que é apenas técnica o suficiente para ser inútil para um iniciante e insana para quem já teve uma aula de tênis. As MasterClasses existem no vale misterioso entre os primeiros princípios e os detalhes técnicos. Sua forma de ensino é uma caixa gigante de dicas e reflexões.

Não se espante se ver pessoas da mesma área discutindo sobre o mesmo tema, o ponto de vista e de evolução até onde chegaram, por ser um conto humano, será sempre diferente e pode ser melhor ou não para uma parte do público.

QUARTO E ÚLTIMO PASSO

As aulas individuais da MasterClass custam US$ 90 (isto é um pagamento lifetime, você pode acessar quantas vezes quiser enquanto a empresa, ou o vídeo, existir). Embora o All Access Pass tenha o dobro do preço de US$ 180 por ano, é de longe o melhor negócio. Depois de ter uma aula, o desejo de tirar uma segunda é esmagador. Você já ouviu o que Judy Blume tem a dizer sobre a criação de estrutura de enredo, mas qual é a opinião de Neil Gaiman? Com uma assinatura, você tem acesso a toda a biblioteca.

A desvantagem é que não há assinatura mês a mês; é uma classe, um ano inteiro ou nada.

Também não há maneira (legal) de baixar os vídeos permanentemente. Você pode ter se inscrito por causa de um único professor apenas para que esse vídeo desapareça em algum momento. Isso já aconteceu pelo menos uma vez, com Kevin Spacey entrando em 2016 apenas para fazê-lo desistir – por várias razões óbvias – um ano depois.

O serviço é muito solitário, no sentido de não conseguir oferecer muito além do que fica exposto, a ferramenta tenta criar uma comunicação entre os participantes, mas esses ficam no próprio passo, pessoas da empresa tentam gerar conversa, mas o engajamento é baixo. E o valor de tentar algo dentro da ferramenta só funciona se tiverem os professores, o que não acontece, e é compreensível.

Aqui estamos comprando o storytelling com valor único, de você, conseguir, finalmente, falar 1 a 1 com quem teve sucesso em uma área e agora tem a disponibilidade de falar o como. É isto.

Não espere fazer networking, não espere receber além do que está claro do oferecido. Espere sair com um conteúdo sem igual, de pessoas que tem uma história real do que passou. – Para mim sempre será um conteúdo de ouro, já que aprendo ouvindo histórias, e me desenvolvo com cada ponto de cada história. Chris Hadfield não me ensinou a ser um astronauta – na praticalidade – mas me ajudou a desenvolver características de atenção, pesquisa, procura e solução rápida de problemas no meu dia a dia de trabalho, com técnicas que ele aprendeu e/ou desenvolveu durante sua preparação na NASA. Ele não fez disto um “método para ser vendido”, ele só compartilhou a história da solução necessária para um momento onde, no caso dele, pensar rápido pode ser uma questão de vida ou morte. – Algo que o lado executivo do mundo adora simular que vive.

TOCANDO O SINAL

Um vídeo de Serena Williams pode te ensinar tênis? Provavelmente não. Mas os vídeos podem te mostrar o que existe por trás de uma pessoa que se tornou uma das principais tenistas do planeta, e quem sabe te ajuda, dar um empurrãozinho – e ideias – no que precisa para você continuar se desenvolvendo na sua área?

Lembre-se, o berço do aprendizado veio no repassar a melhor informação ao próximo, e assim expandir o conhecimento do coletivo, não é somente história, é a confirmação visual da ação, reação e resultado.

Recomendo, siga na página para mais info: https://www.masterclass.com/.

Até a próxima!

Default image
Julio Moraes
Julio Moraes é empresário e atua na área de estratégia e planejamento em Marketing & Digital há mais de 16 anos e conta com trabalhos em mais de 20 empresas nacionais e internacionais. Atualmente vivendo e trabalhando em Los Angeles e com trabalhos ganhadores do EMMY® - The Television Academy e indicados ao HFPA® Golden Globes.
Leave a Reply

Ad Blocker Detected!

Refresh