Por que algumas línguas são faladas mais rapidamente que outras?

melagua
melagua

Imagine que você está em um aeroporto. Ao seu lado, um casal conversa em uma língua que você não conhece.

Apesar de não entender nada, uma coisa é clara: eles falam rápido, muito rápido.

-”Piripipipi bóbóbóbó, firififi, pererepépé…”. Soam animadíssimos, como se estivessem conversando sobre algo realmente incrível.

Isso já aconteceu antes, naquela reunião com os gringos. Parece até que combinaram de falar bem rápido, só pra dificultar a sua vida.

Por que os espanhóis parecem falar sempre a 200km/h? E os Italianos a 250 km/h?

Por que o japonês parece uma metralhadora de sílabas como onomatopéias de filmes de karatê? Raiá, rói, chimbará, hup.

Para resolver esse mistério, pesquisadores da Universidade de Lion, na França, convocaram 59 homens e mulheres com línguas nativas diferentes (inglês, espanhol, japonês, françês, alemão, italiano e mandarin) para um teste.

01. Cada participante leu 20 textos, em sua língua.

02. Depois, os pesquisadores contaram o número de sílabas em cada língua e criaram uma relação entre o número de sílabas e o volume de informação ou significado contido nelas.

Ou seja, conseguiram atribuir um valor de “densidade” ou “prolixidade” (se é que existe essa palavra) para cada língua.

Algumas falam muito para dizer pouco, outras falam pouco para dizer muito.

Por exemplo, um “aiá” em mandarin pode significar “o homem que subiu a montanha para pegar uma flor”.

E um “hofdtanggerlishstrassesprunkt” em norueguês pode significar “oi” (palavras obviamente inventadas, só pra você entender o espírito da coisa).

03. Os resultados:

linguas

04. Conclusão I: quanto mais densa uma língua (onde cada sílaba tem muito significado embutido), mais lentamente é falada.

05. Conclusão II: essa é um mistério, mas todas as línguas entregam mais ou menos a mesma quantidade de informação no mesmo tempo. Só que as mais densas precisam falar menos e a menos densas, mais. Em um filme chinês legendado em espanhol, os atores falariam pouco, mas seriam muitas legendas.

06. Conclusão III: explicando o mistério do começo do post, em que os gringos soam sempre muito rápidos, é justamente por causa da baixa densidade de informação. Um fenômeno psicológico, você não entende nada, as sílabas viram apenas sons e você não consegue decodificar nenhuma informação e acha que está tudo muito rápido.

E essa é história por trás das diferentes densidades das línguas. Já as diferenças entre a densidade de cada pessoa, bom, aí já é outro post.

18 Responses / Leave a comment

  1. Lucas Carvalho

    Existem uns estudos de linguística e antropologia bem interessantes… Que relacionam a língua que a pessoa aprendeu desde criança com o jeito dessa pessoa de agir e de ver o mundo, ao menos estatisticamente (existem exceções para tudo nesse mundo). Certas línguas são mais "introvertidas", contando com mais sons guturais e palavras fechadas. Outras, como o português, são mais abertas. Há ainda línguas como o mandarim, nas quais a variação é de tonicidade das palavras. Cada língua se relaciona a um jeito peculiar de compreender as coisas – talvez uma menor densidade de informações por sílaba tenha acostumado os falantes do português a construir frases mais explicadas (ou seja, não basta dizer "a casa" com uma tonicidade específica, é preciso dizer onde essa casa está, qual é a condição desta casa e por aí vai). Isso pode ter gerado em nós a habilidade de construir sentenças mais naturalmente, o que por sua vez pode ter feito com que o nosso jeito de pensar seja mais linear que o jeito de pensar de outras pessoas, o que por seu turno pode nos ajudar a entender alguns assuntos do cotidiano (como ciências humanas aplicadas, por exemplo) com maior ou menor facilidade em relação a chineses, franceses, japoneses, árabes e outros…

  2. Erika Brenner

    Wagner Brenner Hahaha! É Alien, mas não é impossível, prometo! ;) Mas muito legal o estudo, independente do chinês bagunçar tudo. Agora só não posso sair falando aqui pro pessoal que o chinês é a língua mais lenta, pq do jeito que eles são competitivos, vão desembestar a falar e eu que vo ficar boiando! hehe

  3. Erika Brenner

    Wagner Brenner Hahaha! É Alien, mas não é impossível, prometo! ;) Mas muito legal o estudo, independente do chinês bagunçar tudo. Agora só não posso sair falando aqui pro pessoal que o chinês é a língua mais lenta, pq do jeito que eles são competitivos, vão desembestar a falar e eu que vo ficar boiando! hehe

  4. Wagner Brenner

    É verdade Erika, boa! (nada como uma estudante aplicada in loco para ajudar!) :) Tem inclusive uma observação lembrando o fato de que o chinês tem pronuncias diferentes para as mesmas sílabas e que as pausas fazem parte da emissão da mensagem. Porém, no estudo, toda pausa acima de 150 milésimos de segundo foi omitida, para poder padronizar. Esse tipo de pesquisa é muito mais um apontamento do que um trabalho conclusivo, até pq a amostragem é muito pequena. Mas o quantidade de informação por sílaba entre as diversas línguas acaba sendo um critério interessante para tentar ranquear as velocidades. Fora que chinês é Alien, sai da curva de qualquer pesquisa hahaha.

  5. Erika Brenner

    Mas será que eles consideram quem eles escolheram pra ler os textos? Em Mandarin, por exemplo, quando as pessoas conversam na rua, é ultra mega master rápido. Mas se eles estão lendo, ou dando uma palestra, ou mesmo fazendo um discurso, eles falam ultra devagar. Inclusive com ênfase e pausas estratégicas para aplausos… Da uma olhada nesse video do Hu Jintao fazendo discurso: https://www.youtube.com/watch?v=9auz-AAGyks . Palavra. Por. Palavra. Agora assiste ao noticiario: https://www.youtube.com/watch?v=gXo7CdfMwHM Bem mais rápido. Acho que, pelo menos no caso do chinês, é capaz de dar uma diferença significativa.

  6. Thiago Humberto Do Nascimento

    O francês e o espanhol são mais rápidos que o português.

  7. Wagner Brenner

    Sim, sempre vai parecer rápido demais para um não-nativo. Mas o legal do estudo, é que não leva em conta o observador, compara simplesmente as línguas e como elas entregam o mesmo volume de mensagens. :)

  8. Juliana de Moraes

    Mas eu acho que toda conversa (leia-se fala coloquial) entre falantes nativos the mesma língua vai sempre parecer rápida demais… O processo cognitivo daquela língua está tão arraigado (é 100% natural), que a fala vai sempre sair assim, como uma metralhadora, e o ouvinte, por conseguinte, vai captar totalmente essa metralhadora verbal… rs

  9. Mônica Canejo

    Eu imagino que a língua portuguesa se iguale à espanhola, já que as palavras e a estrutura das frases são muito semelhantes entre as duas.

  10. Kátia Rocha

    hahahahahha Legal demais!

    Engraçado… o video tem só 1 minuto, mas me pareceu muito mais longo!

  11. Kátia Rocha

    hahahahahha Legal demais!

    Engraçado… o video tem só 1 minuto, mas me pareceu muito mais longo!