Tivemos um papo rápido, mas foi o suficiente para ele me trollar. O ator americano, ícone de Ghostbuster, é um bicho da zueira never ends. Como quem estivesse puxando papo, Murray perguntou se eu já tinha ido a algum restaurante barbecue de Austin? Falei que sim, mas perguntei se ele tinha alguma dica na manga. Murray rebateu: “Tenho, claro. Da próxima vez, sente mais distante da fumaça, man”.

The Bill Murray Stories: Life Lessons Learned From a Mythical Man traz histórias mais ou menos assim, onde Bill aleatoriamente invade a vida de pessoas comuns. A diferença é que as passagens do filme de fato aconteceram.

The Bill Murray Stories: Life Lessons Learned From a Mythical Man

https://vimeo.com/231707978

Como Gay Talese em “Fame and Obscurity”, que escreveu um perfil de Frank Sinatra, sem ter conversado com o próprio, o diretor Tommy Avallone trabalha seu documentário sobre sua não entrevista com Murray. Com histórias divertidas, narradas por gente como a gente que vivenciou um momento com o ator, o filme evolui encadeando esses momentos com vídeos domésticos cedidos por seus protagonistas.

A espontaneidade é o que domina a tela, sendo engraçado ver o ator tocar a campainha de uma pessoa aleatória, entrar na casa dela e ­participar de uma festa na qual não foi convidado, se tornando praticamente o anfitrião.

Passagens assim também estão reunidas em “The Tao of Bill Murray”, escrito por Gavin Edwards que também aparece no vídeo. O autor endossa essa característica peculiar de Murray de abordar pessoas subitamente para compartilhar com elas uma experiência inusitada.

Apesar de despretensioso e cômico, não se engane. The Bill Murray Stories fala de coisa séria: criar conexões autênticas, mesmo que só por alguns minutos. Por isso, parece muito que o filme foi escolhido a dedo para SXSW.

Em meio as discussões sobre data storytelling, inteligência artificial e outras coisas que conectem pessoas em escala, Murray, em seus encontros e desencontros one on one, faz uma bela provocação sobre a vida além dos dados.