globo


Quem me acompanha aqui no Update or Die deve já deve ter contado a quantidade de notícias recentes que publiquei sobre os projetos do Itaú com games. Desde a estreia com Flakes Power e LOUD por meio da plataforma #IssoMudaOGame, até a parceria com o desenvolvedor Pedro Caxa no lançamento de um jogo brasileiro. Nesta quinta-feira, 7, um novo comunicado anunciou uma parceria com a Riot Games. Ela é importante e inédita. Importante porque é um dos maiores bancos da América Latina se associando a um torneio de jogos recém-criados: Wild Rift e Valorant, e também porque a esse encontro se dá por meio de um conteúdo produzido pelo banco que utiliza a narrativa do Valorant para levar educação financeira aos jogadores. Interessante.

Leia também
– Os planos do Itaú nos e-sports incluem Flakes Power e Fortnite

Na prática, como vai funcionar? Durante as finais do Wild Tour e o Last Chance Qualifier, o Itaú trará conteúdos sobre a economia do Valorant a fim de ensinar aos jogadores como utilizar estratégias mais sofisticadas de utilização de recursos para melhorar seu desempenho no game. Essa é mais uma iniciativa do banco dentro do movimento #IssoMudaOGame, que tem o objetivo de construir histórias junto com as comunidades, promovendo a transformação social.

“Estamos muito contentes em poder contar com o Itaú, uma marca que já vem demonstrando sua vocação no apoio aos jogadores, em nossos mais novos e-sports – o Wild Rift e o Valorant. Nossos projetos com o Itaú vão levar experiências e conteúdo de bastidores e aprendizado aos jogadores, tornando o banco um parceiro também da comunidade na descoberta de novas possibilidades”, afirma Carlos Antunes, Head de Esports da Riot Games no Brasil.

Leia também
– O que falta, de fato, para que os games se tornem e-commerce?

“O Wild Rift é um jogo que vem se destacando no universo dos games, especialmente pela característica de ser um jogo para celulares, o que aumenta potencial de alcance e acesso dessa franquia. Queremos ajudar a desenvolver e dar visibilidade para essa comunidade e, com isso, mudar o game e a vida dos jogadores. Em mais um projeto de cocriação, o Itaú quer entender melhor esse segmento e, juntamente com os gamers, construir caminhos de oportunidades com os Esports, em diferentes jogos, dos mais estabelecidos aos novos e promissores como o Wild Rift”, conta Robson Harada, superintendente de growth marketing do Itaú.

Comente

Você também deve gostar destes