Para divulgar a exposição Mulheres Radicais: arte latino-americana, 1960-1985, a F/Nazca Saatchi & Saatchi estreia campanha que evidencia a luta de artistas, precursoras de técnicas experimentais, por espaço e reconhecimento durante um dos períodos mais conturbados da história recente.

Segundo Cecilia Fajardo-Hill, que ao lado de Andrea Giunta assina a curadoria da mostra, “As vidas e as obras dessas artistas estão imbricadas com as experiências da ditadura, do aprisionamento, do exílio, tortura, violência, censura e repressão, mas também com a emergência de uma nova sensibilidade”.

O filme retrata, por meio de metáforas, a luta dessas mulheres latino-americanas que usaram sua arte para quebrar os paradigmas estabelecidos e combater a opressão. Ao longo da produção algumas das principais obras que compõem a exposição são recriadas, evidenciando a resistência das mulheres radicais e também a inspiração e o legado que deixaram com a sua arte.

SERVIÇO

Mulheres radicais: arte latino-americana, 1960-1985
Visitação: até 19 de novembro de 2018
De quarta a segunda-feira, das 10h00 às 17h30 – com permanência até às 18h00
Pinacoteca: Praça da Luz 2, São Paulo, SP


Also published on Medium.

Total
3
Shares