Livros e Revistas

40 anos de ‘Godel, Escher, Bach: An Eternal Golden Braid’

Em 1979, Douglas Hofstadter publicou um livro épico – Godel, Escher, Bach: An Eternal Golden Braid. Alguns de vocês provavelmente já o leram, mas a maioria é provavelmente muito jovem para prestar atenção a um livro com 40 anos de idade. O livro ganhou um prêmio Pulitzer, mas, é surpreendente a frequência com que ele aparece quando você conversa com pessoas – que estudam a fundo – sobre IA.

É o tipo de livro que você é atraído quando o vê por causa do título incomum. É um trabalho fascinante que une idéias sobre recursão e sistemas auto-referenciais, criação de analogias e inteligência, explorados através das lentes do Teorema da Incompletude de Kurt Godel, da arte de M.C. Escher e da música de Johann Sebastian Bach. O livro possui um diálogo entre dois personagens, onde as frases do diálogo têm a mesma ordem, independentemente de você começar a leitura de trás para frente ou de (início) frente para trás, ou seja, terá a mesma experiência da leitura.

É incrível.

Mais importante, o livro analisa a ideia de que a inteligência pode ser um fenômeno emergente. Pense na idéia de que um sistema lógico simbólico poderia ter, dentro do sistema, um símbolo que faça referência a todo o sistema em si. O livro, e todo o trabalho de IA de Hofstadter, está muito longe dos modelos conexionistas que dominam hoje em dia, e espero que, à medida que o progresso do conexionismo seja interrompido, muitas pessoas da IA absorvam as idéias do GEB (como é conhecido o livro) empurrando a inteligência artificial para frente.

Grande parte do livro gira em torno de exemplos do Teorema de Godel, usando de exemplo a frase “Esta frase é falsa” debate se é verdadeira, e/ou ao mesmo tempo falsa. Se você gosta de filosofia, literatura ou IA, e não leu o livro, é uma leitura obrigatória. Se você não é acostumado a leituras longas, é um livro ‘pesado’ e exigente, por isso pode ser chato e difícil de se acompanhar. O que todos devem saber é que o livro realmente instigou pessoas a investigarem a inteligência artificial e influenciou o pensamento de muitos pesquisadores da IA em vários estágios. E acredito que muitas das idéias centrais ainda são relevantes para nosso aprendizado sobre inteligência de máquinas.

Feliz 40º aniversário para um dos livros mais influentes da história da IA.

Se você ainda não leu, pode comprá-lo aqui.

Comente

Ad Blocker Detected!

Refresh