21.8 C
Sao Paulo
19/11/2019
Comportamento

Como parar o ‘overthinking’?

Quantas horas por dia você pensa?

Não sei. Eu nunca pensei nisso“, você provavelmente está pensando. Então, vamos deixar o lógico claro: Você está pensando o tempo todo e, no entanto, nunca considera quanto tempo gasta pensando. 

Pensar demais é um problema comum, mas quando fica fora de controle, pode levar à interrupção do sono, “paralisia da análise” e até ameaçar a saúde mental. Também é difícil de diagnosticar, e muito menos curar. – Sou um ex-sempre-medo-de-voltar diagnosticado com síndrome do pânico, e muito aconteceu por causa do overthinking. Eu pensava muito, em tudo, nos problemas, na vida, nas necessidades, em passos de dias, semanas, meses e até anos, acredite. Essa ação me cobrou a saúde mental, que aprendi, com muito tempo de dedicação a cuidar do meu pensar, da minha ação de pensar, do controle do pensar. E lembrar que nem sempre sou o que penso…

A questão geral é que a maioria das pessoas não pensa que o ‘overthinking‘ é um problema. Quando alguém critica o excesso de pensamento, geralmente assumimos que o problema está se refletindo ou focando nos pensamentos negativos. Tendemos a supor, da mesma forma, que pensamentos positivos são bons. É onde mora o erro.

A maioria dos conselhos de autoajuda diz para eliminar os pensamentos negativos e diminuir os pensamentos positivos. Na superfície, isso soa um bom conselho. Mas a verdade é que, quando você usa demais o cérebro, positivo ou negativo, ele pode ficar ‘entupido’. O resultado? Pensamento nebuloso, confuso, desespero e sentimento de estar perdido. Cenário perfeito para afetar nossa existência de modo negativo.

Penso, logo existo. Sim, mas seus pensamentos não são você, e não ditam de modo único sua existência.

Pensar não é considerado um hábito a ser ponderado porque está intimamente ligado à nossa identidade, e a identidade não é o único ponto existencial que determina como você segue sua vida. Aponta como sua vida será seguida, mas não determina de modo regrado. Ninguém disse isso melhor do que Marcus Aurelius em Meditations: “Our life is what our thoughts make it.” – O que ele está dizendo é que nossas vidas são moldadas pela qualidade de nossos pensamentos.

Isto significa que, a partir do momento que você entende que pode decidir quais pensamentos ignorar, o pensamento torna-se uma parte da sua existência mais palpável para cuidar melhor. Pensar em tudo, ao mesmo tempo, continuamente, não é o você do presente, que interage e coexiste, é o você em modo quase espectral, em um lugar que não tem tempo, consequência, passado ou futuro, tomando o seu presente real, do seu corpo, te esperando, enquanto o tempo ali passa.

A única maneira de parar de se identificar com todos os seus pensamentos é parar de seguir todos os seus pensamentos. Em vez disso, você pode, pode exemplo, decidir viver no momento presente – onde você não tem tempo para pensar, apenas para viver e experimentar. Isto não significa desligar o cérebro e todo bom senso, mas significa que você tem que lembrar de viver o momento, e não pensar constantemente sobre um ponto pequeno e transformá-lo em uma história sem fim.

Como viver no presente?

Pensar é uma ferramenta. Em vez de usar essa ferramenta constantemente durante as 16 ou 17 horas em que você está acordado, retire-a para usá-la quando precisar. Mas como você faz isso? Algumas dicas que podem ajudar a parar de pensar demais:

Aumente sua consciência ao longo do dia

Perceba que muito pensamento pode te afastar de seus objetivos e sonhos, não em direção a eles. Sabemos somente até onde sabemos das coisas, isto significa que temos pontos “cegos” do considerado acontecimento-real-futuro, e as vezes precisamos só deixar a vida seguir, sem tentar bancar uma previsão que está totalmente coligada as emoções e sentimentos. Pense até onde acredita ser lúcido, comprovável, palpável, e o restante é o experimentar.

Comece a ‘observar’ seus pensamentos

Toda vez que você inicia um pensamento que conecta com algo, e segue para outro algo, não siga esse coelho. Em vez disso, ‘observe’ que você começou a pensar, e pular de ponto em ponto. Quando você faz isso, seu cérebro não se empolga e você consegue fechar as conexões – que podem te levar a lugares bem estranhos, gerar ansiedade e estresse.

Limite seu pensamento a tempos dedicados

Por exemplo, ao anotar em diários ou definir suas prioridades diárias, sente e pense – simples assim. Dê a si mesmo uma quantidade específica de tempo – digamos, 15 minutos. Durante esses momentos, é perfeitamente ok seguir seus pensamentos. O que estamos tentando aqui é parar o pensamento constante, as vezes até da mesma ‘coisa’, durante todo o resto do dia.

Pare de pensar no cenário global o tempo todo

Quando você pensa constantemente sobre seu futuro e o cenário geral, é fácil se deixar levar ao futuro apocalíptico. Em vez disso, concentre-se no que está à sua frente. Os pequenos passos que você pode executar agora, para grandes mudanças lá na frente, e os que fazem hoje valer a pena. Para uma visão geral, reserve um tempo designado para isto, ou você nunca vai viver como deveria, tentar ter seu precioso espaço individual neste planeta.

Aproveite a vida

Deixe de lado grande parte dos pensamentos sobre ontem e amanhã. O quanto você deseja alcançar no futuro e o quanto você sofreu no passado tem seus blocos de pensamentos. Um, demanda tempo e planejamento e o outro pode ter feito quem você é hoje e te inspira a fazer melhor. Mas se focar excessivamente nos dois pontos além do agora, saiba que, independente das suas crenças, essa sua versão, de você, está vivo agora – e somente agora.

Não penso nos meus objetivos, falhas ou coisas que tenho que fazer amanhã constantemente. Esses vêm de modo esporádico e quando fazem sentido eu penso, quando não tento bloquear. O que importa é que eu estou aqui. Agora mesmo. Assim como no momento em que você está lendo esse texto. Quando tudo passar, o momento, a leitura, a publicação deste texto, como diz dezenas de poesias, se vai, e para sempre. 

Perceba a importância disso para você e lembre que seu presente determina muito mais do que ‘pensa’ sobre quem você é – do que seu passado e seu futuro não existente, e nunca vai esquecer de parar de pensar demais. Você precisa respeitar o seu pensar necessário, o que te faz bem, te fazer evoluir, crescer e deixar de lado o pensar demais que te machuca, segura e atrasa.

Eu não pensei muito para escrever o texto, mas está aí. Espero que ajude um pouco.

Posts Relacionados

Como eu leio dois livros por semana?

Julio Moraes

Como assistir Netflix no trabalho fingindo que está numa conference call

Wagner Brenner

Como montar e publicar um Podcast

Maestro Billy

4 comentários

Julio Moraes
Julio Moraes 25/10/2019 at 2:53 PM

Eu que agradeço o comentário, André! 😀

Reply
André Muhle 24/10/2019 at 5:58 AM

Julio, seu texto é fantástico. Obrigado por isto.

Reply
Wagner Brenner
Wagner Brenner 23/10/2019 at 12:15 PM

Analysis Paralisis! 👍🏻 Eu também fui diagnosticado com síndrome do pânico, há 30 anos (antes do termo virar moda e ganhar seu caráter mais genérico de hoje em dia). E também sou phd em overthinking. Com certeza algo pra se administrar a vida inteira. Mas a gente também aprende um monte de coisas por conta disso, né? Tipo uma análise forçada hehehe. Valeu Julio vamos pensar sobre isso 👍🏻

Reply
Rafael Casanova
Rafael Casanova 22/10/2019 at 9:30 AM

Eu estava pensando aqui, que post incrível! Obrigado!

Reply

Comente

Ad Blocker Detected!

Refresh